A Empresa

Sobre

Somos especialistas em comércio eletrônico. Conheça nossa história

Sucesso

Conheça algumas histórias de sucesso e projetos.

Mercado

Conheça mais sobre o mercado de comércio eletrônico no Brasil e inspire-se para crescer.

Serviços

Webdesign Comércio Eletrônico

Webdesign com foco em comércio eletrônico. Conheça nosso diferencial.

Consultoria

Aumente a previsibilidade e chance de sucesso do seu negócio.

Auditoria & OnPage SEO

Melhore o site que já possui, com ajustes técnicos que melhoram seu posicionamento.

Integrações

Integre seu negócio com as principais plataformas como de ERP e envios de emails.

Configuração Emissão NF

O setup para emitir notas fiscais é bastante técnico. Deixe a dor de cabeça com a gente.

Hospedagem Comércio Eletrônico

Hospedagem otimizada para comércio eletrônico. Contrate a sua.

Contato

Suporte

Precisa de ajuda? Fale conosco através do chat ou envie um email.

Documentação

Acesse toda a documentação e tire o máximo de proveito do seu site.

FAQ

Perguntas frequentes sobre comércio eletrônico.

Empreender Online tem-se tornado o desejo de milhares de pessoas. Entre as possibilidades existentes, montar um e-commerce é a aposta de muita gente. Com custos menores que uma loja física e tendo a possibilidade de vender para todo o Brasil, a ideia parece realmente tentadora. Mas não se engane. Não há espaço para amadorismo e assim como em negócio físico, segundo estudo do Sebrae, cerca de 60% das lojas virtuais fecham antes de completar um ano.

Não deixe que a facilidade em montar um e-commerce te engane. Para ter sucesso é necessário preparação e planejamento, como em qualquer outro negócio, além de investimento de tempo e dinheiro.

Quando se fala em comércio eletrônico, conte com a Eikonikos. Empreendemos online desde 2009.

Você decidiu que quer tem uma loja virtual. Por onde começar?

Planejamento

1. Defina um nicho e analise o mercado

O que você vai vender, e para quem? Você tem familiaridade com este nicho? Conhece fornecedores? Que diferencial a sua loja vai ter? Porque uma pessoa compraria de você?

Depois de definir o nicho analise quem são os seus maiores concorrentes. Onde eles deixam a desejar e você pode fazer diferente?

2. Faça seu planejamento financeiro

Lembre-se você terá investimentos em mercadoria, embalagem, impostos e tributos, plataforma do e-commerce e anúncios. Sim, anúncios. É praticamente impossível uma loja nova vender sem anúncios.

3. Escolha os seus fornecedores

Esta é uma etapa crucial para o sucesso do seu e-commerce. Invista em pesquisa e nas melhores parcerias. Ter seu público-alvo muito bem definido vai te ajudar a fazer compras mais assetivas. Um dos segredos para vender bem é saber comprar.

4. Determine o mix de produtos

Agora que você já identificou o nicho do seu e-commerce, seu público-alvo e fornecedores, você precisa definir o mix de produtos. Vamos supor que você queira montar uma loja virtual de roupa fitness. Que peças você vai vender? Para qual idade? De que tamanhos?

Loja especializada em uma categoria tem uma maior chance de se destacar e ganhar reconhecimento. Por exemplo uma loja especializada em paleta de sombras tem mais chances de converter do que uma loja que vende todos os tipos de maquiagem mas não oferece quantidade de opções (algumas paletas, algumas bases, alguns batons, algumas máscaras, etc….) Se você não tiver capital para investir em um estoque para um mix de produtos razoável, é melhor uma loja de categoria específica. Quando você já tiver reconhecimento e capital pode aumentar o seu mix de produtos. É claro que não é uma regra mas um e-commerce que oferece poucas opções de escolha tem reduzidas as suas chances de sucesso.

Montando o seu e-commerce

5. Encontre um bom nome/ domínio

Domínio é o seu “endereço” na web. O nosso por exemplo é eikonikos.com. Existem diversas possibilidades de registro: .com, .com.br, .net, e muitos outros.

Você pode registra o seu domínio em sites como registro.br, whois.com ou godaddy.com. Em média ou valor do registro é de R$ 30,00/ ano.

Clique aqui e saiba como registrar o seu domínio.

6. Formalize-se

Para vender e emitir nota você precisa ter um CNPJ. Para os que estão começando com uma operação pequena pode até mesmo ser MEI. Procure um contador e abra a sua empresa. 7. Identidade Visual

Como falamos logo no começo deste post, não há espaço para amadorismo. Sua loja vai precisar de uma identidade visual. Você pode contratar um profissional ou desenvolver o manual da sua marca você mesmo, caso tenha alguma familiaridade com o assunto. Você vai precisar de um logotipo, cores, fontes e elementos que vão compor a identidade da sua marca/ loja.

Saiba mais aqui.

8. Escolha da Plataforma

Este é o momento de muitas dúvidas para os empreendedores digitais. Se você não sabe o que é uma plataforma, é a estrutura utilizada para construir a sua loja virtual. Existem diversas opções no mercado, desde layouts prontos até altamente customizáveis. Os valores podem ir de valores insignificantes até dezenas de milhares de reais, dependendo da quantidade de páginas, de produtos e da complexidade da loja.

Aqui na Eikonikos desenvolvemos e-commerce nas plataformas Woocommerce, NuvemShop e Shopify.

Leia mais sobre a melhor plataforma para você aqui.

9. Escolha o Gateway de Pagamento.

Para pequenos e médios empreendedores a melhor solução é ter um parceiro que receba o pagamento dos seus clientes, seja em cartão ou boleto. Eles cuidam de tudo e você paga uma taxa por cada transação feita. Existem diversas opções de Gateway de Pagamento no mercado, como por exemplo PagSeguro, Cielo, Pagarme

8. Plataformas de e-commerce

A plataforma de uma loja online é o sistema responsável pelo gerenciamento e visualização dela na Internet. Ainda que existam várias opções no mercado, você precisa identificar as necessidades do seu e-commerce antes de tomar sua decisão. Uma plataforma completa deve, por exemplo:

· Permitir o cadastro e a inclusão de produtos; · Gerenciar estoque e preços; · Proteger as informações pessoais dos clientes e garantir a segurança no envio dessas informações; · Ter um setor de organização das formas de pagamento e da entrega.

Atualmente, você pode encontrar três tipos de plataforma no mercado: · Gratuita: é open source e oferece possibilidades de personalização, mas, você pode sofrer com a hospedagem, instabilidade e dificuldades no suporte e manutenção; · Paga: oferece um software mais robusto, atendimento especializado, tem maior estabilidade e atualizações constantes. Mas peca na personalização. Algumas opções cobram uma porcentagem em cima da venda realizada; · Própria: esta opção permite uma total personalização, mas requer uma equipe dedicada a seu desenvolvimento, o que implica em altos custos.

Para quem está entrando no mercado, também existem as Plataformas de Entrada. Nessa opção, o lojista paga uma mensalidade fixa (algo entre R$ 75 e R$ 250), de acordo com as necessidades do seu e-commerce: número de pageviews e quantidade de produtos ofertados na loja.

9. Receba pagamentos com segurança e tranquilidade

Escolher a melhor opção de recebimento de pagamentos é um fator importante que pode ajudar a alavancar as vendas do seu e-commerce. Compreender as diferenças de cada uma delas é o primeiro passo para identificar a mais adequada para sua loja e clientes. No caso de pagamentos digitais três opções devem ser consideradas: Integração direta com os adquirentes, intermediadores e gateways.

Integração direta

As operadoras de cartões de crédito oferecem um canal de integração direto, chamado de webservice. Tanto a operadora quanto a loja virtual estabelecem uma conexão para que programadores possam se comunicar entre elas. Embora não existam taxas a serem pagas pelo empreendedor, o custo fica por conta do sistema que faz com que a própria loja virtual analise as condições de crédito e saldo dos cartões. Quanto mais bandeiras dispor no seu e-commerce, mais clientes você pode conseguir.

Intermediadores

intermediador de pagamentos é a opção mais indicada para quem está começando no universo do e-commerce, tanto pela implementação (basta um simples cadastro para começar a utilizá-lo) como pelo custo benefício. Eles costumam cobrar uma taxa em porcentagem, além de um valor fixo (que fica na casa dos centavos) por transação aprovada. Por exemplo, quando uma compra é realizada no seu e-commerce, o valor dessa transação vai direto para a conta da empresa que presta o serviço de solução de pagamento. Ela, por sua vez, recolhe os valores acordados e repassa-os, geralmente em até 30 dias, à loja virtual. Quer saber mais sobre intermediadores de pagamento? Escrevemos um post aqui no blog falando tudo sobre os intermediadores de pagamento, vale a pena conferir se você quer aprender mais. E se quiser entender melhor como escolher um parceiro de pagamentos, veja o vídeo abaixo:

Gateways

Os gateways funcionam da mesma forma que uma máquina de cartões de crédito em uma loja física. O dinheiro das vendas cai diretamente na conta do dono da loja online. Através de um contrato fechado com os bancos ou bandeiras de cartão, você terá uma ferramenta no seu site ou sistema online para digitar os dados do cartão dos clientes. Dentro da opção dos gateways existe a opção para emissão de boleto bancário ou transferência eletrônica de fundos.

Uma pesquisa realizada pela CyberSource Corp, constatou que empresas que oferecem 4 ou mais formas de pagamento possuem uma taxa de conversão de vendas 12% maior. É impossível ter uma previsão sobre qual será o meio de pagamento escolhido pelo seu consumidor. A melhor maneira é oferecer diferentes opções, a fim de finalizar o processo de compra e aumentar as conversões. Não se esqueça que o pagamento deve ser feito de forma segura. Se seu consumidor não se sentir seguro comprando no seu site, as chances de desistir da compra são grandes.

10. Nunca esqueça do marketing digital

Todo varejista sabe da importância do marketing para o e-commerce e do seu potencial de aumentar as vendas, por meio de anúncios, propagandas na televisão, no rádio, outdoors… Com o advento da internet, essas estratégias tiveram que ser adaptadas para a nova realidade do varejo. Hoje, o e-mail marketing é uma das ferramentas mais usadas no marketing digital e que mais convertem. Com ele, você pode fazer a comunicação da sua loja, enviando emails para seus clientes, seja com novas ofertas, lançamentos, vouchers de desconto, ou apenas para parabenizá-lo pelo seu aniversário.

Para quem prefere trabalhar com conteúdos mais extensos, os blogs de e-commerces são a nova sensação. Lá, as lojas falam com o cliente sobre assuntos do seu dia a dia e que sejam pertinentes à sua realidade. A ideia é ir além da propaganda e criar conteúdo que chame a atenção, que engaje e desperte o desejo de compra nos clientes. Já nas redes sociais, as lojas buscam falar de forma ágil com seus seguidores, oferecendo mais fotos dos produtos, comentando assuntos do momento, comunicando de uma forma mais leve, respondendo prontamente e interagindo, inclusive, com outras marcas. Agora, a ideia é usar o marketing para fidelizar o cliente e cativá-lo. Essa relação estreita que vocês construíram levá-lo à conversão será muito mais fácil.

11. Lembre que segurança é crucial no e-commerce

A segurança é um dos fatores mais importantes num e-commerce. O cliente precisa se sentir seguro ao realizar uma compra, uma vez que ele vai compartilhar dados pessoais e bancários com o seu sistema e não quer ter problemas de vazamento de suas informações e sofrer ações fraudulentas com os seus dados. Isso pode ser feito através de:

· Certificados de segurança, como o SLL – Secure Sockets Layer, que permitem que o navegador do cliente estabeleça uma comunicação autêntica e confiável com a loja através de criptografia; · Uma boa solução de pagamentos que ofereça segurança nas transações; · Selos de segurança, que são dados por empresas especializadas no ramo; · Uso de computação em nuvem para armazenar os dados.

12. Construa processos eficientes de logística

A logística é um dos calcanhares de Aquiles ao montar uma loja virtual. É nela que se concentram os maiores problemas e insatisfações dos clientes. Por isso, é importante se planejar para atender o cliente no prazo estipulado, contornar imprevistos no processo de entrega, não perder margem de lucro e não permitir que a logística reversa (que é quando um cliente precisa devolver o produto) seja de alto custo para a sua operação.

Hoje, os meios mais usados para realizar entregas online são os Correios e as transportadoras particulares. Nos Correios, a principal vantagem é que, ao assinar contrato, o pagamento do frete pode ser por meio de uma fatura. Já a desvantagem fica por conta do limite de peso para envio que a empresa possui: 30kg. Nas transportadoras não existe restrição de peso para encomendas, é possível negociar valores e não há risco de greve. O contra é que os preços não são competitivos com os Correios.

Também existem outras opções, como a entrega expressa na região próxima ao Centro de Distribuição da loja, que é realizada por motoboy, bicicleta ou veículo próprio da empresa. Outra opção é a retirada em loja, em que o cliente compra no site e vai até uma loja física retirar o produto.

13. Aposte no SAC 2.0

Coloque-se no lugar do cliente: você compra um produto que não viu, experimentou, sentiu ou testou. Ele vai levar dias para chegar. Pode, inclusive, chegar com algum problema e a entrega pode demorar. E você não tem ninguém para ouvir as suas dúvidas e problemas. É frustrante, não é?! Pois é aqui que entra uma parte crucial do e-commerce: o atendimento ao cliente.

Mesmo comprando online, o consumidor quer ser atendido por uma pessoa, quer ter a sensação de estar sendo ouvido por pessoas que realmente se importam com seus problemas. Pesquisas mostram que, mesmo que o cliente tenha tido uma experiência negativa com a loja, um bom atendimento pode reverter essa primeira impressão.

Por isso, desenvolva uma estratégia de atendimento e invista em capacitação da uma equipe, caso você já tenha uma operação grande suficiente para isso.

Se você é o único responsável pelo atendimento, separe períodos dos dias para responder aos contatos realizados, deixe visível o horário de atendimento e deixe claro os prazos que as solicitações realizadas levam para terem uma resposta.

Esteja disponível nas redes sociais, tirando dúvidas, solucionando problemas e ouvindo reclamações. Também é bom disponibilizar um número de telefone durante horário comercial e, quem sabe, estar presente em aplicativos como WhatsApp para ajudar os consumidores.

A regra é clara: você deve estar disponível!

14. Entenda a legislação para e-commerce

Além de ter características muito próprias, o e-commerce também tem alguns pontos na legislação muito particulares, como o Decreto Federal 7.962/13 – A Lei do E-commerce. Com ela, fica estabelecido que algumas informações no site da loja precisam estar claras e de fácil acesso, como a razão social, o endereço físico, CNPJ, telefone para contato e o formulário de contato, ou e-mail.

Na página do produto, é preciso que as informações estejam claras, como descrição detalhada, medidas e material de fabricação. As opções de pagamento (como parcelamento e incidência, ou não, de juros) e os prazos de entrega também devem estar em local privilegiado na página. Quando o cliente fechar o carrinho de compras, é preciso que apareça uma confirmação de compra e que essa confirmação seja enviada pro seu email.

Outro ponto importante deste decreto é o do direito de arrependimento. O cliente tem até 7 dias (a partir da data de entrega da mercadoria) para se arrepender da compra. Assim, ele pode devolver o produto sem custo algum e sem precisar se justificar – desde que o produto esteja em perfeitas condições.

E não é só isso, tem também os impostos com clausulas específicas para e-commerce, como você pode ver neste nosso post.

Montar uma loja virtual pode ser muito mais trabalhoso do que você imaginava, não é mesmo. Envolve decisões sobre quais tecnologias usar, como receber pagamentos, como trabalhar logística, enfim, abrir um e-commerce exige muito trabalho e determinação. Mas, agora, você já tem uma visão geral sobre os principais pontos que precisa considerar no seu planejamento.

E, se você quiser aprender muito mais sobre os processos envolvidos em montar uma loja virtual de sucesso, clique aqui embaixo para receber mais materiais como esse.

xxxxx

8. Recursos de marketing digital

Sua solução de comércio eletrônico está incompleta sem os recursos de marketing para o público. Coisas como otimização de mecanismo de pesquisa, integração de mídia social, otimização de pesquisa paga e marketing de afiliados são as técnicas que irão conduzir os visitantes ao seu site. Portanto, certifique-se de que a solução de comércio eletrônico que você está construindo tenha recursos eficazes de marketing online, como:

Web Analytics

Para acompanhar o comportamento dos visitantes, você precisa ter uma forte integração de análise da web em seu site de comércio eletrônico. Sem a análise da web, você não terá ideia do que está acontecendo em seu site, como os clientes estão usando seu site e quais mudanças você pode fazer para melhorar a experiência do usuário. Você pode começar com ferramentas como Google Analytics e Hotjar para mapear a otimização da sua taxa de conversão.

Otimização de mecanismos de pesquisa (SEO) e PPC

Os recursos de SEO ajudarão você a aumentar a presença online do seu site de comércio eletrônico. Certifique-se de que sua solução de comércio eletrônico se integre perfeitamente às atividades de SEO para direcionar o tráfego orgânico para o seu site e ajudá-lo a se manter à frente de seus concorrentes nas classificações do mecanismo de pesquisa.

Da mesma forma, você precisa ter fortes campanhas de PPC para comercializar e promover seus produtos e vender online. O importante aqui é entender a diferença entre SEO e PPC. SEO é feito para melhorar suas classificações de busca orgânica / natural, e PPC é a campanha paga que você executa online para atrair visitantes. Você precisa manter o equilíbrio certo entre as técnicas de marketing de SEO e PPC para direcionar o tráfego relevante para o seu site.

Integração de mídia social

A mídia social é o meio mais forte para promover seu negócio online. A solução de comércio eletrônico que você planeja implementar deve ter recursos de mídia social para que seus produtos ou serviços recebam menções relevantes em vários canais de mídia social, como YouTube, Facebook, Twitter e Instagram.

Lembre-se de que os clientes usam a mídia social em grande parte para fazer compras online, bem como para falar sobre produtos e marcas. Eles escrevem avaliações de produtos em vários canais sociais sobre sua experiência de compra, recomendam produtos para seus contatos e também adicionam itens ao carrinho de compras com base nas recomendações feitas por seus contatos sociais. Portanto, as ferramentas de mídia social em seu site tornarão mais fácil para seus clientes falarem sobre seus produtos e serviços nos canais sociais.

9. Parceiro de desenvolvimento de comércio eletrônico

Quer você escolha uma solução de comércio eletrônico ou de código aberto, você precisará de um parceiro de desenvolvimento para implementar o software e a solução de comércio eletrônico ideal. Escolher o fornecedor certo de soluções de comércio eletrônico pode ser uma tarefa altamente desgastante. Portanto, você precisa considerar os seguintes fatores para fazer a escolha certa:

Quantas implementações o provedor de soluções fez na solução de comércio eletrônico que você escolheu?

O provedor de soluções implementou a solução em seu setor?

Para que tipo de clientes trabalharam?

Eles seguem os melhores processos e metodologias da indústria?

Eles ganharam algum prêmio pelas soluções que desenvolveram?

Eles têm recursos tecnicamente qualificados?

Quais certificações e credenciais eles têm relevantes para a solução que você escolheu?

Além disso, você pode falar diretamente com clientes anteriores de um provedor de soluções para saber suas avaliações sobre os serviços oferecidos por seu parceiro de desenvolvimento de comércio eletrônico.

10. Feedback e melhoria contínua

Assim que todas as implementações forem feitas e seu site de comércio eletrônico estiver no ar, você saberá realmente como seus clientes respondem ao seu site. Agora é a hora de monitorar ativamente o que está acontecendo em seu site. Você precisa se aprofundar nas estatísticas de análise da web do seu site e identificar as áreas de melhoria com base nesses insights.

Você também precisa ter um mecanismo de feedback forte para que os usuários possam enviar sugestões e feedback facilmente. Todos os dados que você coleta por meio de ferramentas de análise e feedback do cliente formarão a base das melhorias que você precisa fazer. A melhoria contínua é a chave para acompanhar as mudanças nos requisitos do cliente. É um processo contínuo e você precisa monitorar os dados que obtém de campanhas de análise, SEO, mídia social e PPC para fazer melhorias contínuas. Também é essencial acompanhar os avanços tecnológicos. Por exemplo, a pesquisa por voz está pronta para transformar as compras e o comércio eletrônico.

Conclusão

Decidir sobre a melhor plataforma de comércio eletrônico ou construir toda a solução de comércio eletrônico do zero é uma tarefa enorme. A combinação de todos os fatores mencionados neste artigo pode certamente ajudar empresas de todos os tamanhos a cumprirem suas metas de comércio eletrônico. A maioria das organizações tem o equívoco de que, depois de encontrar a melhor solução disponível no mercado, o resto cairá no lugar. Ao contrário, não importa o tamanho da solução, o sucesso depende de como você traça sua estratégia de implementação. Desde a pesquisa sobre as principais tendências de comércio eletrônico, os vários serviços de solução de comércio eletrônico até chegar à empresa ideal de desenvolvimento de sites de comércio eletrônico, o caminho para construir um negócio online de sucesso é longo, mas vale a pena percorrer.

xxxxxxx

Crie um site de comércio eletrônico do zero como um profissional

De acordo com relatórios de pesquisa, o crescimento dos negócios online em todo o mundo é significativamente mais rápido e maior em comparação com os negócios tradicionais. O sucesso dos negócios de comércio eletrônico tem sido tão impactante que até mesmo casas de negócios estabelecidas começaram a venda online como um esforço complementar. No entanto, comecemos pelo princípio, no caso do comércio eletrônico, é obrigatório criar um site de comércio eletrônico no início.

Existe uma maneira definitiva de realizar o processo de criação e operação de um site de comércio eletrônico . Embora o envolvimento profissional seja sempre solicitado para esses esforços, o conhecimento justo também pode ajudar a iniciar um negócio online .

Siga estas etapas para construir sua loja de comércio eletrônico do zero:

Decida o produto que você deseja vender

Ao navegar na Internet, você deve ter notado a existência de vários sites de comércio eletrônico que vendem itens variados . Existem alguns sites dedicados à venda de uma determinada linha de produtos ou serviços, como roupas, planos de viagem, itens de moda, etc. Além disso, existem alguns outros sites de comércio eletrônico que vendem vários itens, como telefones celulares, laptops, eletrodomésticos, livros, CDs , home theaters, câmeras úteis, artigos esportivos e assim por diante. Este último é como uma grande loja de departamentos que vende tudo sob o mesmo teto.

Por isso, é importante, desde o início, decidir sobre o produto ou serviço que deseja vender através do seu site. Ao decidir sobre o item de comércio é essencial estimar a demanda local. Os compradores sempre preferem comprar itens de um fornecedor local, independentemente de estarem online ou offline. O fornecedor local sempre garantiria entregas mais rápidas, condições de pagamento mais fáceis e substituições antecipadas em caso de remessas erradas ou defeituosas.

Escolha o seu modelo de negócios

Como proprietário de uma empresa de comércio eletrônico, você pode escolher seu modelo de negócios de acordo com suas necessidades. Você pode vender apenas por meio de sua loja online ou pode vender seus produtos em mercados como Amazon, Flipkart, eBay, etc. Você também pode vender seus produtos em ambas as plataformas ao mesmo tempo.

Escolha uma empresa e um nome de domínio

Depois de decidir a variedade de itens e o modelo de negócios, a próxima etapa seria escolher o nome da empresa e criar um domínio. O nome de uma empresa deve ser relevante para seus produtos e fácil de lembrar para seu público-alvo. Um domínio fornece uma identidade e torna mais fácil para os compradores online reconhecê-lo. No entanto, para empresas com recursos financeiros limitados, seria desejável obter um domínio compartilhado. Compartilhar um domínio com um nome estabelecido facilita o contato com seus compradores-alvo. Conforme o negócio cresce, é aconselhável ter um domínio dedicado, pois ajuda na otimização do mecanismo de pesquisa e no reconhecimento mais fácil.

Selecione um construtor de sites de comércio eletrônico

Hoje em dia, é muito simples construir sua loja online com a ajuda de construtores de sites de comércio eletrônico como o Shiprocket 360 . Este software DIY online cria sites em poucos segundos onde você pode começar a vender produtos instantaneamente.

Projetando sua loja de comércio eletrônico

Seu site de comércio eletrônico é sua loja e precisa ser projetado para a conveniência de seus compradores. Seu site deve conter detalhes sobre seus produtos e serviços vendáveis. Imagens, descrições , preços, comentários de usuários, classificações devem ser incluídos em sua página da web para orientar os compradores em potencial. Você deve ter certeza de que sua página da web mostra seus produtos perfeitamente para que os compradores nunca sejam enganados. Você deve tornar suas páginas da web e seu site atraentes, pois são a representação de sua marca para os compradores online.

Configurar o gateway de pagamento

Como um negócio online, é necessário ter várias opções de pagamento disponíveis para os clientes. Os criadores de eStore, como o Shiprocket 360, vêm com ferramentas que podem configurar essas funcionalidades para o seu site automaticamente. O cliente deve ser capaz de fazer pagamentos através de cartão de crédito, cartão de débito, carteiras online, net banking, COD , etc.

Proteja seu site instalando o certificado SSL

Para todos os sites que transferem dados online, deve-se ter certeza de que sua conexão está protegida por uma Secured Security Layer (SSL). O certificado SSL mantém seu site seguro e gera confiança entre seus clientes. Hoje em dia, até o Google recomenda ter um certificado SSL para cada site.

Selecione o seu parceiro de envio

Depois de começar a vender produtos por meio de seu site de comércio eletrônico, você precisa enviar esses produtos para seus clientes com a ajuda de serviços de correio. Os serviços agregadores de logística de comércio eletrônico, como o Shiprocket, são a melhor opção. Eles oferecem várias opções de agência de correio para enviar seu produto com as taxas de envio mais baixas disponíveis, para que você tenha o valor máximo de lucro em sua parte.

Estas são as etapas básicas para criar um site de comércio eletrônico para seu produto ou serviço e começar a vender instantaneamente.

XXXX

12 etapas para construir um site de comércio eletrônico de sucesso em 12 meses

Alguns especialistas prevêem que o comércio eletrônico ultrapassará US $ 2 trilhões em vendas nos próximos anos – é o setor de crescimento mais rápido e um dos mais valiosos.

Quando você pode fazer compras on-line, finalizar a compra com facilidade e, em seguida, ter seu par de jeans favorito, um belo relógio novo ou até mesmo um computador personalizado enviado diretamente à sua porta, você pode pensar que o processo não é tão complicado.

Como profissional de marketing digital, ajudei várias marcas a aumentar as vendas por meio do e-commerce . Isso me fez querer começar meu próprio site de e-commerce, para que eu pudesse realmente entender o processo e o que é necessário para lançar uma loja online do zero.

Abaixo estão dicas e truques que aprendi durante o ano que minha irmã e eu levamos para lançar o DermWarehouse , um site de comércio eletrônico que vende produtos de beleza e cuidados com a pele . As etapas descritas abaixo não apenas garantirão que você siga o caminho mais rápido e profissional para colocar seu site em funcionamento, mas também definirão seu marketing e SEO para um sucesso futuro, o que aumentará seus resultados financeiros.

Estratégia de SEO de um ano.

Se você nunca começou uma loja de e-commerce do zero, é impossível entender o quão demorado e detalhado é o processo. Ao olhar para qualquer site de comércio eletrônico, você nunca pensa no fato de que alguém teve que criar conteúdo e carregar individualmente cada produto. Não só isso, você também tem que negociar com cada fabricante para poder listar seus produtos online, antes mesmo de começar o processo de listagem real.

Além de todo o trabalho necessário para realmente construir o site, com base na minha experiência em agência de marketing, entendi como pode ser frustrante ter esse site e modelo de negócios funcionando no qual você trabalhou tanto, mas sem gerar tráfego orgânico. Portanto, iniciamos nossa estratégia de SEO no início, um ano antes do lançamento do site, ao mesmo tempo em que construímos nosso website. Precisávamos desse tempo de qualquer maneira para o desenvolvimento, então por que não aproveitá-lo ao máximo e matar dois coelhos com uma cajadada só?

Abaixo está uma lista de todas as etapas que seguimos para começar e construir com sucesso nosso site de comércio eletrônico:

1. Compre um nome de domínio.

Isso é muito simples. Você precisa de um nome de domínio que identifique perfeitamente sua marca. Não pense demais no processo. Usando um site como o GoDaddy , você pode comprar um nome de domínio por menos de $ 10,00.

Relacionado:  Como escolher e comprar um nome de domínio

2. Encontre um desenvolvedor web.

Este é um componente crucial no lançamento de seu site de comércio eletrônico. Se você deseja lançar seu site em um período de tempo relativamente curto e de maneira profissional, certifique-se de fazer uma avaliação quando se tratar de contratar um desenvolvedor. Obtenha referências de outros sites de comércio eletrônico que o desenvolvedor construiu. Obtenha um cronograma de quanto tempo eles estimam que levará para lançar o site. Certifique-se de que eles tenham um fundo de design gráfico para que possam recortar imagens que se alinhem ao seu site. Certifique-se de perguntar se o desenvolvedor tem experiência na construção de sites na plataforma de comércio eletrônico que você escolher (consulte a etapa 4).

Muitas vezes, os empreendedores avançam com um desenvolvedor sem fazer a devida diligência em termos de pesquisa. Não deixe que isso aconteça com você, pois isso pode interromper o seu site antes mesmo de você começar. Se você quiser saber mais sobre quanto tempo seu site de comércio eletrônico deve levar para ser lançado, sinta-se à vontade para entrar em contato com um especialista em web design .

Relacionado:  5 dicas para contratar um ótimo desenvolvedor da Web

3. Obtenha toda a papelada necessária para um negócio legítimo.

Registre sua empresa, obtenha uma licença de fornecedor e comece a examinar questões jurídicas de negócios. Você deve entrar em contato com um advogado local para ajudá-lo na criação de seu negócio. Embora seja um custo inicial, é provável que você economize dor de cabeça e despesas significativas no futuro.

De acordo com Alyson Letsky, um advogado da Eastman & Smith Ltd. em Columbus, Ohio , você primeiro precisará traçar uma estratégia e determinar o estado no qual deseja ser domiciliado e, em seguida, verificar os registros exigidos com o Secretário de Estado desse estado e o departamento de tributação ou receita.

Você precisará registrar os artigos de incorporação ou organização apropriados com o Secretário de Estado do seu estado se estiver começando uma corporação, sem fins lucrativos, sociedade de responsabilidade limitada ou organização profissional. Além disso, se você estiver fazendo vendas tributáveis, precisará obter uma Permissão de Vendedor ou Licença de Vendedor com a agência estadual apropriada. Muitos fornecedores exigirão que você também tenha isso antes de concordarem em trabalhar com você.

Se você está começando uma organização sem fins lucrativos, verifique com o escritório do procurador-geral do estado para saber quais licenças e registros de caridade são necessários. Por último, você precisará dos documentos organizacionais apropriados. Entre em contato com seu advogado para obter mais informações, mas esta não é uma etapa a ser ignorada.

Relacionado:  4 documentos legais que você precisa revisar antes de 2017

4. Selecione o comércio eletrônico e a plataforma de hospedagem do site.

Para economizar tempo e dinheiro, selecione uma plataforma de comércio eletrônico popular. Eu recomendo Shopify , WooCommerce ou BigCommerce . A maioria dos desenvolvedores está familiarizada com eles, o que facilita a integração de plug-ins, processamento de pagamentos, etc.

Para nosso site de comércio eletrônico de cuidados com a pele, decidimos usar WooCommerce por causa de seus recursos de WordPress. Escolhemos o WP Engine para a hospedagem, que custa US $ 29,99 por mês e oferece uma solução de hospedagem rápida e segura.

Relacionado:  Surpreendido pelas soluções de comércio eletrônico disponíveis? Aqui estão os 4 principais.

5. Encontre um tema que corresponda à sua visão de comércio eletrônico.

Para economizar ainda mais tempo, você pode comprar um tema da ThemeForest para encontrar um layout que se assemelhe à aparência que você deseja do ponto de vista do comércio eletrônico. ThemeForest tem mais de 28.000 modelos de sites e temas a partir de $ 2. Eles são o principal mercado de modelos de sites.

Não reinvente a roda. Em vez de construir seu site do zero, baixe um modelo de ThemeForest ou um site semelhante. Aprendemos com a experiência que o processo de personalização pode ser muito oportuno e frustrante. Portanto, se você encontrar um tema de que goste, provavelmente evitará uma grande dor de cabeça.

Relacionado:  5 maneiras pelas quais as cores da loja podem influenciar os compradores

6. Leve seu site ao vivo.

Assim que você se comprometer em iniciar seu negócio, coloque seu site no ar, antes mesmo de listar qualquer um de seus produtos. Faça com que seu desenvolvedor crie uma página inicial, uma página “Sobre nós” e uma página de contato. Não precisa ser bonito, mas ter um site em funcionamento será útil por vários motivos:

Primeiro, permitirá que você estabeleça legitimidade ao negociar acordos com fornecedores. Você terá mais do que apenas uma ideia. Em segundo lugar, ao entrar em contato com repórteres e blogueiros, eles podem ver que você tem um site e é confiável. Terceiro, ele fornecerá um local para todas essas fontes vincularem de volta ao seu site, o que é, obviamente, a chave para a construção de SEO.

Relacionado:  Cinco coisas a verificar antes de seu novo site entrar no ar

7. Ajude um Repórter (HARO)

Help A Reporter Out (HARO) é uma das melhores ferramentas de RP e SEO que qualquer empresário ou profissional de marketing digital pode utilizar. É gratuito, gera uma exposição incrível (se executado corretamente) e pode realmente ser uma virada de jogo (novamente, se executado corretamente).

O HARO fornece aos jornalistas um banco de dados robusto de fontes para as próximas histórias e oportunidades diárias de fontes para garantir uma cobertura valiosa da mídia. Inscreva-se e use este recurso o máximo que puder para construir credibilidade e estabelecer relacionamentos com a mídia para seu site.

Quando se trata de HARO, existem vários componentes-chave para a execução. O primeiro é a oportunidade. Quando um repórter envia uma consulta, ele pode receber centenas de argumentos de venda em resposta. Cada consulta também tem um prazo, portanto, responder imediatamente, de manhã, à tarde e à noite, é fundamental por ambos os motivos.

O segundo elemento chave é encontrar um verdadeiro especialista do setor com facilidade de acesso. Felizmente, tínhamos um dermatologista à nossa disposição o tempo todo para a DermWarehouse. Isso nos deu uma vantagem sobre os milhares de pitches que tratam de empreendedorismo (aos quais ainda respondíamos também, mas com uma taxa de conversão menor).

Se você gastar o tempo e enviar de volta dois argumentos de venda por dia durante o período de um ano, obterá uma exposição tremenda em alguns dos sites mais populares da web. Isso não só ajudará a aumentar a exposição da sua marca, como também ajudará muito o seu SEO.

Relacionado:  5 dicas para fazer a mídia ‘deslizar para a direita’ em seu comunicado à imprensa

8. PitchBox.

Desenvolver relacionamentos com os contatos da mídia é muito importante. É aqui que o Pitchbox entra. O Pitchbox automatiza o trabalho pesado de divulgação para que você possa se concentrar no que faz de melhor – criando conexões reais, pessoa a pessoa, com as pessoas que deseja alcançar. O Pitchbox ajuda a dimensionar seus esforços de divulgação. Ele lida com todos os aspectos, desde a prospecção até o envio por e-mail, acompanhamento e gerenciamento do fluxo de trabalho.

Depois que a PitchBox enviar um argumento de venda inicial, se alguém não responder, seu software SaaS enviará um e-mail de acompanhamento com base em uma programação cronometrada. Você pode criar seus próprios e-mails (inicial e de acompanhamento) para que a mensagem ainda soe pessoal.

Pitchbox começa em US $ 95 para startups e é um grande recurso para gerar relacionamentos de alta qualidade. Usamos esse serviço para divulgação do fornecedor e também para divulgação da mídia. Isso nos economizou uma quantidade enorme de tempo. Se você também é um usuário do Moz, pode integrá-lo ao Pitchbox, permitindo que você filtre os resultados da pesquisa com base na autoridade do domínio.

Relacionado:  7 dicas para dominar a arte do acompanhamento

9. Alcance personalizado.

Relacionamentos personalizados são muito importantes, tanto para fornecedores quanto para a mídia. Se você implementou com sucesso uma estratégia de SEO, definitivamente entende o valor dos relacionamentos personalizados.

 Certifique-se de apresentar ao site algo de valor. É importante fazer pesquisas sobre repórteres e editores para que, quando você lhes der uma ideia de história, o e-mail não fique enterrado em sua caixa de entrada ou excluído sem ler.

Digamos que sua loja de comércio eletrônico venda “Pete’s Pasta Sauce”. Compartilhe sua experiência por meio de artigos ensinando leitores e aficionados da culinária sobre suas receitas mais deliciosas. Envie a um editor uma amostra de seu molho de macarrão para ajudar a explicar por que seu pesto se destaca entre os concorrentes.

Se você estiver vendendo apenas seu próprio molho de massa caseiro, não estará lidando com relacionamentos com fornecedores, mas se estiver vendendo diferentes marcas e produtos, estará trabalhando em estreita colaboração com esses fornecedores. Ou pelo menos você deveria estar!

Pegue o telefone ou encontre seu representante para um café. Os vendedores são as pessoas que ditam as vendas e as promoções. Eles podem mantê-lo atualizado sobre as últimas tendências de suas marcas para ajudar a impulsionar suas vendas. Eles são as pessoas que mais sabem sobre os produtos que você vende, por isso é muito importante estabelecer relações com eles. Deixe-os saber que você é uma equipe e deseja trabalhar com  eles para garantir o sucesso para vocês dois. Eles vão gostar e pensar em você sempre que tiverem uma oferta ou promoção especial, ou mesmo uma grande ideia de marketing. Se você construiu um relacionamento com eles, é o seu site que eles desejam compartilhar essas ideias e ofertas.

Relacionado:  Por que uma chamada telefônica é melhor do que um e-mail (normalmente)

10. Obtenha um  gateway de pagamento .

Você já se perguntou como os pagamentos com cartão de crédito são aceitos em sites de comércio eletrônico? É através de um gateway de pagamento e também de um processador de cartão de crédito. Você provavelmente está mais familiarizado com o PayPal ou Stripe. Mas se você deseja aceitar cartões de crédito, cobrança recorrente e pagamento móvel, um gateway como o authorize.net ou 2Checkout.com oferece ótimas opções. WooRockets.com fornece uma grande lista dos “ 5 melhores gateways de pagamento para sites de comércio eletrônico ”.

Obter a aprovação para um gateway de pagamento e processador de cartão de crédito não é um processo fácil, então faça sua pesquisa e certifique-se de estar preparado. Antes de se inscrever, você precisará configurar um processo de checkout seguro em seu site, criar uma Política de Privacidade e Política de Devolução, descobrir seus métodos de envio e entrega, além de ter um número de telefone de atendimento ao cliente e endereço de e-mail em funcionamento.

Todas essas informações precisam estar visíveis em seu site. Certifique-se também de ter um histórico de crédito limpo, uma carteira de motorista ou identidade estadual dos EUA, uma conta bancária nos EUA para a empresa onde os fundos serão depositados e uma identificação fiscal federal. Você precisará de um cheque anulado (ou de uma carta do banco com as informações de sua conta) e também é uma boa ideia incluir uma carta de apresentação com sua inscrição explicando seu negócio e por que você terá sucesso.

A configuração do gateway de pagamento e o processamento do cartão de crédito pode demorar um pouco. Esses processadores não querem correr um grande risco em um negócio sem experiência ou que provavelmente não terá sucesso, então você deve provar a eles que esse não é o caso do seu negócio. Não espere até o último minuto para iniciar este processo.

Relacionado:  5 recursos a serem observados ao selecionar o modelo de pagamento eletrônico correto

11. Google Shopping + Catálogo de produtos do Facebook.

Falamos muito sobre como construir sua presença de SEO durante o processo de desenvolvimento para que, ao invés de esperar que o desenvolvimento do site seja concluído e começar seu SEO do zero, você possa começar a reforçar seu SEO enquanto seu desenvolvedor está trabalhando em seu local.

Existem algumas coisas, no entanto, que você não pode concluir até que o site esteja pronto para ser lançado e todos os produtos tenham sido carregados. Quando você estiver nos estágios finais de desenvolvimento, certifique-se de configurar sua campanha do Google Shopping para garantir que as imagens de seus produtos sejam preenchidas quando os usuários pesquisarem por palavras-chave relevantes. Se você não está familiarizado com o Google Shopping, dou instruções passo a passo em “ 4 etapas fáceis para configurar uma campanha do Google Shopping por meio do Merchant Center. 

Você pode usar esse mesmo feed de dados do Merchant Center e carregá-lo no catálogo de produtos do Facebook.

Relacionado:  O onisciente Google vai lançar alertas de compras acionados geograficamente

12. Solicite embalagens e descubra as opções de envio / armazenamento.

Antes de lançar seu site, você precisará descobrir como armazenar e enviar seu inventário. Você terá que determinar o armazenamento para fazer acordos com seus fornecedores. Algumas perguntas que você precisará responder são as seguintes:

Você utilizará o transporte direto ou armazenará todo o seu estoque em um depósito? Você usará USPS, UPS, FedE ou alguma combinação dos três para enviar e rastrear pacotes? Em que você enviará seu pacote? Que tamanho de embalagem você precisa? Você vai incluir algum material promocional em seus pacotes? Existem restrições de envio para algum dos produtos que você está oferecendo (por exemplo, alguns produtos de beleza só podem ser enviados por via terrestre)?

Você precisa de respostas para todas essas perguntas antes de estar pronto para enviar qualquer mercadoria. Como você pode ver, iniciar um site de comércio eletrônico é um processo bastante complexo e detalhado. Seguir esta lista de verificação garantirá que você tome as medidas adequadas para lançar seu site em tempo hábil, sendo proativo com seu SEO e marketing.