Tudo que você precisa saber sobre fotos de e-commerce

Imagens contam histórias, e imagens para comércio eletrônico ainda mais. De nada adianta um site lindo, com imagens ruins. Veja como melhorar as imagens para seu e-commerce e aumente suas conversões.

São muitas as etapas para colocar um e-commerce no ar e mantê-lo funcionando, mas se você pecar na hora da foto, pode jogar ralo abaixo o seu tempo e dinheiro. Tamanha é a importância da imagem em uma loja virtual. 

As fotos de e-commerce são mais do que apenas fotos de produtos. São representações visuais de como seu produto deve ser usado e também transmitem o espírito de sua marca. Sim, boas fotos de e-commerce são poderosas.

A primeira coisa que os compradores desejam ao visitar seu site é ver as imagens dos produtos. É seu trabalho garantir que eles vejam seus produtos rapidamente. A BBC News descobriu que os consumidores não vão esperar mais de três segundos para que um site de e-commerce carregue totalmente suas páginas.

A1Sn5JYA4I5hxrxs0-aW5dT46jq_Fj6I2d_g9SN1-dBytgQg92saH84724mUFkxnhVEYKcgHeBCMHdYWo8Yrb9qWFvSs4FDvAvAii0V2vzD60GZwwSV1oN6UkFkTkPFu9YC_BO8b
O que os compradores buscam online

Quando falamos em boas fotos de produtos de e-commerce, você reconhece uma quando a vê. Eu aposto que você poderia pensar em pelo menos cinco lojas com fotos incríveis de produtos. Talvez algumas até o influenciaram a comprar ou ver essa marca de uma maneira mais favorável.

As vendas online crescem verticalmente, mas não se engane. O consumidor está cada vez mais exigente e oferecer uma boa experiência de uso é fundamental para o sucesso do seu negócio. 

Ainda que a praticidade de comprar online ganhe muitos adeptos, é preciso ter em mente que é uma experiência distinta da loja física, onde um vendedor pode tirar todas as dúvidas e o cliente pode tocar o produto, experimentar, ver com “os próprios olhos”. Por isto é necessário um esforço para aumentar as chances de o seu cliente chegar até a sua loja, navegar e finalizar a compra. 

Por exemplo, 3 em cada 10 consumidores não finalizam a compra online por falta de informações do produto. Uma grande perda, não?

Além de informações detalhadas, as fotos são imprescindíveis para converter e fidelizar o seu cliente. A foto é o grande atrativo do seu site. De nada adianta investir em tudo o mais se um visitante chegar ao seu e-commerce e ver uma foto desfocada, mal iluminada ou que demora para carregar. É o que sempre dizemos aqui na eikonikos… não há mais espaço para amadores.

Se você ainda tem alguma dúvida sobre a importância da foto saiba que é ela que vai fazer o seu cliente clicar em comprar ou abandonar a sua loja.

Digamos que você está buscando por um presente para a sua mãe, que mora longe. Você arriscaria comprar uma bolsa em que a foto está em baixa resolução? É até difícil confiar em uma loja dessas. Acho que você concorda.

Buscando no Google por Scarpin preto em nobuck, encontramos alguns resultados. Algum deles chama mais a sua atenção?

S_DmhmuvX1yyHfNkeAXjvnmEAIOzOLJL1OU2aeEREodw7CP2_aYfS_d79O5lrVSiK6dz70R5MQdR-hL1lUl66k_RQCk2ZApkd5hCc_1ml-16XUp3_rFObwbigXTnJLlnUtkqYb1C
sVZd57oquTcHU2eOZczzzwhI4d3F7x7dy6kB-Wf826HAi64aDeRmm4-8BMFk9JHuR4sh2i2SCJrHZcn4ezvMUcH4_hMvzp6ORS3WHVexACd1_ez0PRkr3lbbqA9F6qp62IQPNXyF
MP9kyakagqEEVg65eqJEgdLue1roTusawyebt0MVtWR7jy3jT3ESvcK50f55GnZDlrFolAOEE1Zp14zQ_VppPmlGR9Dewmrv-EYnGcRIOThj-UubC3NlXiCbJRNVWmonSNEFSDmG

Quais são os fatores mais importantes para uma imagem em e-commerce?

Qualidade

A imagem deve ter uma boa resolução, nitidez, iluminação. Foto desfocada ou pixelada é imperdoável. Imagens de alta qualidade convertem melhor do que imagens de qualidade inferior.

Um estudo de 2009 descobriu que os compradores têm três vezes mais probabilidade de converter em sites que incluem imagens de alta qualidade (incluindo a capacidade de aumentar o zoom) do que aqueles com imagens de qualidade inferior. Mais recentemente, um estudo descobriu que imagens de alta qualidade ajudaram a estabelecer a confiança entre os compradores online.

Quanto mais pixels a sua foto tiver, mais nítida ela será. A resolução das imagens pode ser medida basicamente de duas formas. Em Pixels por Polegada Quadrada (DPI, na sigla inglesa) ou em Pixels por Centímetro Quadrado. Quanto mais pixels, melhor a definição da foto.

Porém, quando você aumenta demais a resolução das suas imagens, diz-se que elas ficam demasiadamente pesadas. Ou seja, seu tamanho em Kb também aumenta, o que pode fazer com que a abertura da página de produto se torne mais lenta.

Nesse caso, procure usar uma resolução tal que permita que a ampliação da foto no sistema de zoom da página de produto fique perfeita. Na maioria dos sites e-commerce são utilizadas fotos com 72 DPI.

As fotos baixo têm o mesmo tamanho mas com qualidade distintas.

quer imagens melhores para seu comercio eletronico. Veja como

Considere os tamanhos mínimos:

640×640 pixels para imagens quadradas

480X 640 para fotos retangulares

Importante: Quando você escolher um tamanho, utilize-o em todas as fotos, de todos os produtos,  para evitar que a sua loja fique desorganizada, com fotos de tamanhos distintos. Isto deixará com uma cara pouco profissional. É importante padronizar.

Formato e tamanho da imagem para comércio eletrônico

Ainda que seja necessária uma boa resolução a sua foto não pode ser pesada para não comprometer o tempo de carregamento, tão crucial no e-commerce. O formato .jpeg consegue deixar a foto mais leve que a extensão .png e por isto é mais indicada. Existem aplicativos, até mesmo online, que comprimem fotos em lote.

Cada foto que você vai disponibilizar no seu e-commerce deve ter entre 150K e 600K. Fotos com 1M está no limite do aceitável, ainda que não seja recomendado principalmente para navegação no celular.

  1. Fundo branco: Comprovadamente aumenta a conversão. Em marketplaces é uma exigência, e eles sabem o porquê. Tio Bezos não é o homem mais rico do mundo à toa. Vamos usar o que funciona e parar de tentar inventar a roda.
  2. Imagem clean: Evite colocar mensagens, texto, preço. Deixe isto para a descrição do produto ou para imagem usada em campanhas e/ou redes sociais.
  3. Indicação de tamanho: Uma foto com fundo branco não dá a ideia de tamanho/ dimensão do produto. Você pode incluir uma foto com algum objeto que sirva como comparativo visual. Por mais que tenha as medidas na descrição do produto é como dizem: uma imagem vale mais que mil palavras.
  4. Quantidade: Você compraria uma blusa online que só tem uma imagem disponível mostrando o produto? Pouco provável, né? As taxas de conversão aumentam com o número de imagens de um produto. Em um estudo com milhares de listagens do eBay , os pesquisadores descobriram que passar de zero imagens para uma dobrou as taxas de conversão e passar de uma para duas taxas dobraram novamente.Disponibilize múltiplas imagens, mostrando diferentes ângulos, lados e detalhes. Considere três imagens secundárias por produto.
  5. Produto em uso: Dependendo do seu nicho considere mostrar o produto sendo utilizado.
  6. Espaço negativo: O produto principal deve ocupar pelo menos 50% da foto (85% para a Amazon).
  7. Fidelidade: Se você for fazer fotos em estúdio ou tirar as próprias fotos, verifique se a cor do produto na foto está fiel. Ajustes na hora de fotografar podem alterar muito a realidade. E isto pode causar problemas com o seu cliente. Uma das maiores reclamações recebidas por e-commerce é o cliente receber um produto diferente do mostrado na foto, sabia? Pelo mesmo motivo não é indicado a utilização de filtros.
  8. Variações: Se o seu produto tem cores diferentes, todas elas devem ser fotografadas e mostradas, obrigatoriamente.
  9. Imagens Hero: Uma imagem hero condensa as informações do produto e fornece quatro pontos básicos que são facilmente legíveis: Qual é a marca? Qual é o produto? Qual é a variedade? Quanto tem no pacote? A Unilever fez um teste para verificar se as imagens hero realmente alteravam a taxa de conversão no e-commerce. E o resultado é que as vendas semanais de um produto com imagens hero aumentaram em 74,5% em relação à imagem convencional.

Principal benefício: as imagens do produto são renderizadas e como oferecem todas as informações já na foto, aumenta a taxa de conversão em dispositivos móveis. 

Na imagem abaixo um exemplo de hero image. Informação sobre o nome do produto e o rendimento (64 loads)

melhore as imagens dos seus produtos

Quando usar: se o seu produto vier em uma embalagem múltipla ou em diferentes variedades, é importante usar uma imagem hero como sua imagem principal no celular. As marcas podem usar frases de destaque fora da imagem principal do produto para fornecer o tamanho ou o número de itens. Não é indicado para produtos de moda e/ou alto valor agregado 

  1. Vídeos: São um excelente diferencial principalmente em peças de alto valor e também ajudam a aumentar a conversão. Dependendo do seu nicho os próprios fornecedores podem disponibilizar. Se você tem uma loja de pequeno porte saiba que um vídeo feito com o celular já ajuda bastante. Vídeos simples, curtos e sem efeitos são suficientes e preferíveis.
  2. Nomeie corretamente: Quando você tira uma foto com celular ou com uma câmera ela normalmente é nomeada no formato IMG_20201217_094104 ou DSC00534. Mesmo que a sua foto não precise de nenhuma edição não faça upload no seu site com esse nome. Renomeie cada uma delas com o nome ou descrição do produto, por exemplo scapin-nobuck-preto.jpg. Isto vai ajudar no posicionamento orgânico e nos buscadores.
  3. Modelos: Se o seu nicho é de moda, considere inserir fotos com modelos e na descrição indique as medidas da(o) modelo e o tamanho da peça utilizada. Este é um diferencial que pode fazer com que o usuário compre de você e não do seu concorrente.
  4. Packshots: As packshots têm parâmetros semelhantes às imagens principais e também podem ocupar o papel da imagem principal. Mas packshots representam o produto inteiro e sua embalagem como aparece na vida real, enquanto a imagem principal pode ser editada para mostrar outros elementos do produto (dependendo do e-tailer) ou pode desconsiderar a embalagem completamente.
como melhorar as imagens do seu e-commerce

Benefício principal: Packshots ajudam os compradores a visualizar o que é o produto. Certifique-se de que o packshot seja bem iluminado e mostre cores naturais para que os clientes tenham expectativas realistas.

Quando usar: um bom momento para usar um packshot é quando a embalagem de um produto desempenha um papel após a compra, por exemplo, em cosméticos, suplementos, itens eletrônicos multipack e itens de cuidados pessoais. Dito isso, qualquer produto físico pode se beneficiar de um packshot profissional.

  1. Otimização: A sua loja deve ser otimizada para funcionar perfeitamente em todas as telas. Afinal de contas as vendas em smartphones representam uma grande oportunidade em crescimento. Você já entrou em um site pelo smartphone em que ele estava todo desconfigurado? É muito frustrante! Se você é cliente eikonikos não se preocupe, a sua loja é otimizada.

Pensamentos finais

O tempo que você gasta na produção de imagens de qualidade para o seu  comércio eletrônico valerá porque o retorno é em forma de vendas. Se você for um empreendedor iniciante ou pequeno, provavelmente faz as suas próprias fotos, principalmente as de still. Pode ser que leve um tempo para que as suas fotos fiquem ideais mas com o tempo fará parte do seu fluxo de trabalho em fotografia de produto.

Design Responsivo para Comércio Eletrônico

A internet está mudando a vida de muitas pessoas, todos os dias. O e-commerce é uma das muitas possibilidades que a internet oferece e teve seu crescimento impulsionado por conta da Covid-19. 

De acordo com dados da 42ª edição do Webshoppers, estudo sobre e-commerce do País elaborado semestralmente pela Ebit|Nielsen, em parceria com a Elo, o crescimento do faturamento em 2020 foi impulsionado pela alta de 39% no número de pedidos, para 90,8 milhões.

Outro dado relevante vem da Anatel: No mês de dezembro/20 o Brasil terminou o mês com 234,1 milhões de celulares e densidade de 110,07 cel/100 hab.

Acesso à smartphones e internet são um enorme potencial para negócios. E é por este motivo que seu E-commerce deve ser responsivo. O tráfego móvel há muito ultrapassa o tráfego de e-commerce para desktops e esse número continua aumentando sem sinais de desaceleração. Se você deseja ter sucesso, deve estar preparado para vender em todos os formatos porque, acredite, a maioria dos usuários vai comprar na sua loja utilizando um smartphone.

O comércio eletrônico para celular está assumindo o controle

A principal razão pela qual o design responsivo ganhou tanto foco nos últimos tempos é devido ao aumento do uso de telefones celulares. Mais e mais pessoas estão usando seus telefones para acessar lojas de comércio eletrônico do que nunca, e ainda existem empresas que não otimizaram seus sites para celulares.

O que significa Webdesign responsivo?

Significa que um site é implementado de tal forma que se ajusta automaticamente para fornecer uma experiência web otimizada para o usuário em qualquer dispositivo e tamanho de tela. Isso é especialmente importante em e-Commerce pois os clientes hoje em dia esperam facilidade de uso e uma experiência Web atraente em todos os dispositivos. O design responsivo se ajusta automaticamente, tornando-se quase obrigatório para todos aqueles que fornecem conteúdo em constante mudança, como varejistas de comércio eletrônico.

Você precisa se imaginar como seu cliente para entender o que se espera de sua loja de comércio eletrônico. Lembre-se de que você também é um cliente! Você já visitou uma loja de comércio eletrônico e descobriu que demorava muito para carregar? Não foi chato? Você não está sozinho. Todos nós já visitamos lojas de comércio eletrônico de carregamento lento e acabamos saindo antes de esperar carregar. É por isso que você deve garantir que seu site seja diferente.

site-responsivo-o-que-e-como-fazer.jpg

Como ele difere de um design otimizado para celular?

Essencialmente, o design responsivo é compatível com dispositivos móveis, no sentido de que permite uma navegação fácil fora de um computador desktop. No entanto, eles ainda são diferentes. 

Um site compatível apenas com dispositivos móveis é uma versão reduzida do site original destinada a um público móvel. O problema com este design é que pode ser frustrante para o seu público, porque eles terão que usar a tela de toque para pinçar, aplicar zoom e expandir as páginas do seu site. Como resultado, eles têm muito mais probabilidade de sair se precisarem navegar pelas páginas de um site para celular mal projetado.

Sites responsivos móveis, por outro lado, são projetados desde o início para usuários em dispositivos móveis. Eles são essencialmente uma versão diferente do site que se encaixa e formata perfeitamente para a maioria dos dispositivos móveis. Um site móvel totalmente responsivo produz uma experiência de usuário limpa, organizada e intuitiva.

loja-virtual-responsiva-como-fazer.jpg

O que é uma boa experiência móvel?

As primeiras impressões são importantes quando um cliente visita seu site pela primeira vez. Eles querem que sua experiência seja boa. Pense assim: Sua loja quando aberta em um smartphone deve ter a aparência de ter sido criado exclusivamente para dispositivos móveis. O layout deve ser adaptado, com fácil navegabilidade e ainda assim, bonito.

Motivos para você ter sua loja otimizada para mobile:

  1. Melhores classificações de SEO – o Google e outros mecanismos de pesquisa classificam os sites com uma melhor experiência móvel como superiores em suas classificações quando as pessoas estão pesquisando. Em um comunicado, o Google explicou que os sites configurados para dispositivos móveis e com design responsivo. O que significa que as classificações para SEO seriam melhores. Se um site for aprovado nos testes de compatibilidade com dispositivos móveis , isso acabará melhorando a classificação geral da loja nos mecanismos de busca Google.
  2. Melhor taxa de conversão – Ter um site móvel otimizado garante que os usuários ainda possam comprar no site, mesmo que estejam visualizando em seu dispositivo móvel. Embora as taxas de conversão para celular sejam menores do que para desktop, dar ao cliente a capacidade de comprar em seu smartphone, se desejar, significa que você terá mais chances de obter uma taxa de conversão melhor. De acordo com o estudo de comércio eletrônico da Monetate, 2,03% dos usuários de celular convertem e 4,19% dos usuários de tablet também convertem. Outra pesquisa também revelou que 67% dos clientes têm mais probabilidade de comprar em um site otimizado para celular.
  3. Melhor satisfação do cliente – se os clientes gostam de comprar e navegar em seu site, eles podem voltar ou considerá-lo um bom negócio para comprar. As estatísticas do GoDaddy mostram que uma das melhores maneiras de reter clientes com é ter um site responsivo e compatível com dispositivos móveis.
  4. Gerenciamento flexível: Se você tiver duas versões para o seu site – uma versão para desktop e uma versão móvel autônoma adicional, deve ter cuidado para não perder tráfego para o site principal. Você terá que fazer o dobro de esforços para gerenciar 2 sites diferentes e correr o risco de conteúdo duplicado.O design responsivo permite um gerenciamento mais fácil e menos demorado para um único local. A interface de administração é flexível e otimizada e você, como empresário, pode acessá-la facilmente em qualquer tela e dispositivo.
  5. Taxas de conversão mais altas: Uma experiência móvel robusta pode aumentar taxas de conversão mais fortes no futuro. Um relatório da ForeSee Results disse que 54% dos entrevistados que estão “altamente satisfeitos com sua experiência móvel têm mais probabilidade de considerar a empresa na próxima vez que quiserem fazer uma compra semelhante e duas vezes mais probabilidade de comprar no canal móvel do varejista novamente”. Oferecer a seus clientes uma sensação perfeita durante o processo de compra também ajudará a reduzir as taxas de abandono do carrinho.

O que melhorar para ter uma experiência móvel melhor?

  1. Como os smartphones são muito menores do que os desktops, a navegação em seu site deve ser muito mais simples. Você não quer que seus clientes sejam confundidos com os botões ou a navegação geral de seu site, o que significa que tudo deve ser perfeitamente otimizado. Melhorar a navegação em seu site, para que fique mais fácil para o cliente, com certeza vai melhorar a experiência mobile, mesmo que você não melhore mais nada.
  2. Redução de custos: Você precisa de apenas uma versão em vez de várias para cada tipo de dispositivo, como desktop, celular, kindle, tablet e assim por diante. Além disso, a criação de aplicativos para cada dispositivo requer mais capital.
  3. Aumento de visitas:  Com mais pessoas navegando em dispositivos móveis do que em computadores, ter um site otimizado para celular aumenta a quantidade de visitantes que a sua loja vai receber, o que significa que você conquistará mais clientes. 
  4. Apresentação do Produto: é recomendado que seus produtos fiquem visível em um dispositivo móvel. Isso tem dois benefícios principais: seus produtos ficam mais claros de ver para o cliente que está navegando, e também reduz o tempo de carregamento do seu site.
  5. Pesquisa Inteligente: Preste atenção especial ao posicionamento da caixa de pesquisa, já que as pessoas costumam acessar sites para celular em busca de algo específico, então certifique-se de que a busca seja simples na sua loja virtual, quando acessada pelo celular,
  6. O ícone do carrinho de compras deve ser claramente visível e fácil de tocar em todas as páginas do produto.
  7. A navegação em todo o ciclo de compra também deve ser projetada para ser sensível ao toque.
  8. O consumidor deve ser convidado a optar por receber a sua newsletter em todos os canais, seja através de QR code, na landing page do mobile ou ao colocar um produto no carrinho de compras. Você também pode querer considerar a oferta de incentivos para a aceitação, por exemplo, oferecendo um desconto de 10% no próximo pedido.
  9. Também não se esqueça de incluir um botão CTC (clique para ligar) para os usuários de E-Commerce que tenham dúvidas e precisam de mais informações sobre seus produtos. Muitos clientes navegarão em seu site pelo celular, portanto, facilitar a ligação para você deve estar em mente
  10. Fotos de alta qualidade: de acordo com a Shopify , as imagens de produtos de qualidade são um fator chave para o engajamento, conversão e retenção da loja, e para o valor geral da vida do cliente. Se isso não for suficiente para convencê-lo de que imagens de comércio eletrônico de alta qualidade são fundamentais

Conclusão

Há todo um mundo de oportunidades quando se trata de criar páginas da web inteligentes e responsivas a dispositivos móveis. A tecnologia está mudando rapidamente e o número de usuários globais em todo o mundo continua a aumentar ano após ano. Se você combinar o design certo usando temas, plug-ins e aplicativos compatíveis com dispositivos móveis, terá uma chance melhor de criar uma experiência excelente para seus clientes, independentemente do dispositivo que escolham usar ao acessar seu site. Pode parecer uma tarefa difícil, mas assim que seu site de comércio eletrônico for traduzido para dispositivos móveis, você descobrirá que os benefícios tornam essa decisão necessária para proprietários de empresas em todos os setores.

Você quer melhorar o seu e-commerce ou começar a empreender na Internet? Vamos conversar!

Como montar um e-commerce

[et_pb_section admin_label=”section”] [et_pb_row admin_label=”row”] [et_pb_column type=”4_4″][et_pb_text admin_label=”Text”]

Empreender Online tem-se tornado o desejo de milhares de pessoas. Entre as possibilidades existentes, montar um e-commerce é a aposta de muita gente. Com custos menores que uma loja física e tendo a possibilidade de vender para todo o Brasil, a ideia parece realmente tentadora. Mas não se engane. Não há espaço para amadorismo e assim como em negócio físico, segundo estudo do Sebrae, cerca de 60% das lojas virtuais fecham antes de completar um ano.

Não deixe que a facilidade em montar um e-commerce te engane. Para ter sucesso é necessário preparação e planejamento, como em qualquer outro negócio, além de investimento de tempo e dinheiro.

Quando se fala em comércio eletrônico, conte com a Eikonikos. Empreendemos online desde 2009.

Você decidiu que quer tem uma loja virtual. Por onde começar?

Planejamento

1. Defina um nicho e analise o mercado

O que você vai vender, e para quem? Você tem familiaridade com este nicho? Conhece fornecedores? Que diferencial a sua loja vai ter? Porque uma pessoa compraria de você?

Depois de definir o nicho analise quem são os seus maiores concorrentes. Onde eles deixam a desejar e você pode fazer diferente?

2. Faça seu planejamento financeiro

Lembre-se você terá investimentos em mercadoria, embalagem, impostos e tributos, plataforma do e-commerce e anúncios. Sim, anúncios. É praticamente impossível uma loja nova vender sem anúncios.

3. Escolha os seus fornecedores

Esta é uma etapa crucial para o sucesso do seu e-commerce. Invista em pesquisa e nas melhores parcerias. Ter seu público-alvo muito bem definido vai te ajudar a fazer compras mais assetivas. Um dos segredos para vender bem é saber comprar.

4. Determine o mix de produtos

Agora que você já identificou o nicho do seu e-commerce, seu público-alvo e fornecedores, você precisa definir o mix de produtos. Vamos supor que você queira montar uma loja virtual de roupa fitness. Que peças você vai vender? Para qual idade? De que tamanhos?

Loja especializada em uma categoria tem uma maior chance de se destacar e ganhar reconhecimento. Por exemplo uma loja especializada em paleta de sombras tem mais chances de converter do que uma loja que vende todos os tipos de maquiagem mas não oferece quantidade de opções (algumas paletas, algumas bases, alguns batons, algumas máscaras, etc….) Se você não tiver capital para investir em um estoque para um mix de produtos razoável, é melhor uma loja de categoria específica. Quando você já tiver reconhecimento e capital pode aumentar o seu mix de produtos. É claro que não é uma regra mas um e-commerce que oferece poucas opções de escolha tem reduzidas as suas chances de sucesso.

Montando o seu e-commerce

5. Encontre um bom nome/ domínio

Domínio é o seu “endereço” na web. O nosso por exemplo é eikonikos.com. Existem diversas possibilidades de registro: .com, .com.br, .net, e muitos outros.

Você pode registra o seu domínio em sites como registro.br, whois.com ou godaddy.com. Em média ou valor do registro é de R$ 30,00/ ano.

Clique aqui e saiba como registrar o seu domínio.

6. Formalize-se

Para vender e emitir nota você precisa ter um CNPJ. Para os que estão começando com uma operação pequena pode até mesmo ser MEI. Procure um contador e abra a sua empresa. 7. Identidade Visual

Como falamos logo no começo deste post, não há espaço para amadorismo. Sua loja vai precisar de uma identidade visual. Você pode contratar um profissional ou desenvolver o manual da sua marca você mesmo, caso tenha alguma familiaridade com o assunto. Você vai precisar de um logotipo, cores, fontes e elementos que vão compor a identidade da sua marca/ loja.

Saiba mais aqui.

8. Escolha da Plataforma

Este é o momento de muitas dúvidas para os empreendedores digitais. Se você não sabe o que é uma plataforma, é a estrutura utilizada para construir a sua loja virtual. Existem diversas opções no mercado, desde layouts prontos até altamente customizáveis. Os valores podem ir de valores insignificantes até dezenas de milhares de reais, dependendo da quantidade de páginas, de produtos e da complexidade da loja.

Aqui na Eikonikos desenvolvemos e-commerce nas plataformas Woocommerce, NuvemShop e Shopify.

Leia mais sobre a melhor plataforma para você aqui.

9. Escolha o Gateway de Pagamento.

Para pequenos e médios empreendedores a melhor solução é ter um parceiro que receba o pagamento dos seus clientes, seja em cartão ou boleto. Eles cuidam de tudo e você paga uma taxa por cada transação feita. Existem diversas opções de Gateway de Pagamento no mercado, como por exemplo PagSeguro, Cielo, Pagarme

8. Plataformas de e-commerce

A plataforma de uma loja online é o sistema responsável pelo gerenciamento e visualização dela na Internet. Ainda que existam várias opções no mercado, você precisa identificar as necessidades do seu e-commerce antes de tomar sua decisão. Uma plataforma completa deve, por exemplo:

· Permitir o cadastro e a inclusão de produtos; · Gerenciar estoque e preços; · Proteger as informações pessoais dos clientes e garantir a segurança no envio dessas informações; · Ter um setor de organização das formas de pagamento e da entrega.

Atualmente, você pode encontrar três tipos de plataforma no mercado: · Gratuita: é open source e oferece possibilidades de personalização, mas, você pode sofrer com a hospedagem, instabilidade e dificuldades no suporte e manutenção; · Paga: oferece um software mais robusto, atendimento especializado, tem maior estabilidade e atualizações constantes. Mas peca na personalização. Algumas opções cobram uma porcentagem em cima da venda realizada; · Própria: esta opção permite uma total personalização, mas requer uma equipe dedicada a seu desenvolvimento, o que implica em altos custos.

Para quem está entrando no mercado, também existem as Plataformas de Entrada. Nessa opção, o lojista paga uma mensalidade fixa (algo entre R$ 75 e R$ 250), de acordo com as necessidades do seu e-commerce: número de pageviews e quantidade de produtos ofertados na loja.

9. Receba pagamentos com segurança e tranquilidade

Escolher a melhor opção de recebimento de pagamentos é um fator importante que pode ajudar a alavancar as vendas do seu e-commerce. Compreender as diferenças de cada uma delas é o primeiro passo para identificar a mais adequada para sua loja e clientes. No caso de pagamentos digitais três opções devem ser consideradas: Integração direta com os adquirentes, intermediadores e gateways.

Integração direta

As operadoras de cartões de crédito oferecem um canal de integração direto, chamado de webservice. Tanto a operadora quanto a loja virtual estabelecem uma conexão para que programadores possam se comunicar entre elas. Embora não existam taxas a serem pagas pelo empreendedor, o custo fica por conta do sistema que faz com que a própria loja virtual analise as condições de crédito e saldo dos cartões. Quanto mais bandeiras dispor no seu e-commerce, mais clientes você pode conseguir.

Intermediadores

intermediador de pagamentos é a opção mais indicada para quem está começando no universo do e-commerce, tanto pela implementação (basta um simples cadastro para começar a utilizá-lo) como pelo custo benefício. Eles costumam cobrar uma taxa em porcentagem, além de um valor fixo (que fica na casa dos centavos) por transação aprovada. Por exemplo, quando uma compra é realizada no seu e-commerce, o valor dessa transação vai direto para a conta da empresa que presta o serviço de solução de pagamento. Ela, por sua vez, recolhe os valores acordados e repassa-os, geralmente em até 30 dias, à loja virtual. Quer saber mais sobre intermediadores de pagamento? Escrevemos um post aqui no blog falando tudo sobre os intermediadores de pagamento, vale a pena conferir se você quer aprender mais. E se quiser entender melhor como escolher um parceiro de pagamentos, veja o vídeo abaixo:

Gateways

Os gateways funcionam da mesma forma que uma máquina de cartões de crédito em uma loja física. O dinheiro das vendas cai diretamente na conta do dono da loja online. Através de um contrato fechado com os bancos ou bandeiras de cartão, você terá uma ferramenta no seu site ou sistema online para digitar os dados do cartão dos clientes. Dentro da opção dos gateways existe a opção para emissão de boleto bancário ou transferência eletrônica de fundos.

Uma pesquisa realizada pela CyberSource Corp, constatou que empresas que oferecem 4 ou mais formas de pagamento possuem uma taxa de conversão de vendas 12% maior. É impossível ter uma previsão sobre qual será o meio de pagamento escolhido pelo seu consumidor. A melhor maneira é oferecer diferentes opções, a fim de finalizar o processo de compra e aumentar as conversões. Não se esqueça que o pagamento deve ser feito de forma segura. Se seu consumidor não se sentir seguro comprando no seu site, as chances de desistir da compra são grandes.

10. Nunca esqueça do marketing digital

Todo varejista sabe da importância do marketing para o e-commerce e do seu potencial de aumentar as vendas, por meio de anúncios, propagandas na televisão, no rádio, outdoors… Com o advento da internet, essas estratégias tiveram que ser adaptadas para a nova realidade do varejo. Hoje, o e-mail marketing é uma das ferramentas mais usadas no marketing digital e que mais convertem. Com ele, você pode fazer a comunicação da sua loja, enviando emails para seus clientes, seja com novas ofertas, lançamentos, vouchers de desconto, ou apenas para parabenizá-lo pelo seu aniversário.

Para quem prefere trabalhar com conteúdos mais extensos, os blogs de e-commerces são a nova sensação. Lá, as lojas falam com o cliente sobre assuntos do seu dia a dia e que sejam pertinentes à sua realidade. A ideia é ir além da propaganda e criar conteúdo que chame a atenção, que engaje e desperte o desejo de compra nos clientes. Já nas redes sociais, as lojas buscam falar de forma ágil com seus seguidores, oferecendo mais fotos dos produtos, comentando assuntos do momento, comunicando de uma forma mais leve, respondendo prontamente e interagindo, inclusive, com outras marcas. Agora, a ideia é usar o marketing para fidelizar o cliente e cativá-lo. Essa relação estreita que vocês construíram levá-lo à conversão será muito mais fácil.

11. Lembre que segurança é crucial no e-commerce

A segurança é um dos fatores mais importantes num e-commerce. O cliente precisa se sentir seguro ao realizar uma compra, uma vez que ele vai compartilhar dados pessoais e bancários com o seu sistema e não quer ter problemas de vazamento de suas informações e sofrer ações fraudulentas com os seus dados. Isso pode ser feito através de:

· Certificados de segurança, como o SLL – Secure Sockets Layer, que permitem que o navegador do cliente estabeleça uma comunicação autêntica e confiável com a loja através de criptografia; · Uma boa solução de pagamentos que ofereça segurança nas transações; · Selos de segurança, que são dados por empresas especializadas no ramo; · Uso de computação em nuvem para armazenar os dados.

12. Construa processos eficientes de logística

A logística é um dos calcanhares de Aquiles ao montar uma loja virtual. É nela que se concentram os maiores problemas e insatisfações dos clientes. Por isso, é importante se planejar para atender o cliente no prazo estipulado, contornar imprevistos no processo de entrega, não perder margem de lucro e não permitir que a logística reversa (que é quando um cliente precisa devolver o produto) seja de alto custo para a sua operação.

Hoje, os meios mais usados para realizar entregas online são os Correios e as transportadoras particulares. Nos Correios, a principal vantagem é que, ao assinar contrato, o pagamento do frete pode ser por meio de uma fatura. Já a desvantagem fica por conta do limite de peso para envio que a empresa possui: 30kg. Nas transportadoras não existe restrição de peso para encomendas, é possível negociar valores e não há risco de greve. O contra é que os preços não são competitivos com os Correios.

Também existem outras opções, como a entrega expressa na região próxima ao Centro de Distribuição da loja, que é realizada por motoboy, bicicleta ou veículo próprio da empresa. Outra opção é a retirada em loja, em que o cliente compra no site e vai até uma loja física retirar o produto.

13. Aposte no SAC 2.0

Coloque-se no lugar do cliente: você compra um produto que não viu, experimentou, sentiu ou testou. Ele vai levar dias para chegar. Pode, inclusive, chegar com algum problema e a entrega pode demorar. E você não tem ninguém para ouvir as suas dúvidas e problemas. É frustrante, não é?! Pois é aqui que entra uma parte crucial do e-commerce: o atendimento ao cliente.

Mesmo comprando online, o consumidor quer ser atendido por uma pessoa, quer ter a sensação de estar sendo ouvido por pessoas que realmente se importam com seus problemas. Pesquisas mostram que, mesmo que o cliente tenha tido uma experiência negativa com a loja, um bom atendimento pode reverter essa primeira impressão.

Por isso, desenvolva uma estratégia de atendimento e invista em capacitação da uma equipe, caso você já tenha uma operação grande suficiente para isso.

Se você é o único responsável pelo atendimento, separe períodos dos dias para responder aos contatos realizados, deixe visível o horário de atendimento e deixe claro os prazos que as solicitações realizadas levam para terem uma resposta.

Esteja disponível nas redes sociais, tirando dúvidas, solucionando problemas e ouvindo reclamações. Também é bom disponibilizar um número de telefone durante horário comercial e, quem sabe, estar presente em aplicativos como WhatsApp para ajudar os consumidores.

A regra é clara: você deve estar disponível!

14. Entenda a legislação para e-commerce

Além de ter características muito próprias, o e-commerce também tem alguns pontos na legislação muito particulares, como o Decreto Federal 7.962/13 – A Lei do E-commerce. Com ela, fica estabelecido que algumas informações no site da loja precisam estar claras e de fácil acesso, como a razão social, o endereço físico, CNPJ, telefone para contato e o formulário de contato, ou e-mail.

Na página do produto, é preciso que as informações estejam claras, como descrição detalhada, medidas e material de fabricação. As opções de pagamento (como parcelamento e incidência, ou não, de juros) e os prazos de entrega também devem estar em local privilegiado na página. Quando o cliente fechar o carrinho de compras, é preciso que apareça uma confirmação de compra e que essa confirmação seja enviada pro seu email.

Outro ponto importante deste decreto é o do direito de arrependimento. O cliente tem até 7 dias (a partir da data de entrega da mercadoria) para se arrepender da compra. Assim, ele pode devolver o produto sem custo algum e sem precisar se justificar – desde que o produto esteja em perfeitas condições.

E não é só isso, tem também os impostos com clausulas específicas para e-commerce, como você pode ver neste nosso post.

Montar uma loja virtual pode ser muito mais trabalhoso do que você imaginava, não é mesmo. Envolve decisões sobre quais tecnologias usar, como receber pagamentos, como trabalhar logística, enfim, abrir um e-commerce exige muito trabalho e determinação. Mas, agora, você já tem uma visão geral sobre os principais pontos que precisa considerar no seu planejamento.

E, se você quiser aprender muito mais sobre os processos envolvidos em montar uma loja virtual de sucesso, clique aqui embaixo para receber mais materiais como esse.

xxxxx

8. Recursos de marketing digital

Sua solução de comércio eletrônico está incompleta sem os recursos de marketing para o público. Coisas como otimização de mecanismo de pesquisa, integração de mídia social, otimização de pesquisa paga e marketing de afiliados são as técnicas que irão conduzir os visitantes ao seu site. Portanto, certifique-se de que a solução de comércio eletrônico que você está construindo tenha recursos eficazes de marketing online, como:

Web Analytics

Para acompanhar o comportamento dos visitantes, você precisa ter uma forte integração de análise da web em seu site de comércio eletrônico. Sem a análise da web, você não terá ideia do que está acontecendo em seu site, como os clientes estão usando seu site e quais mudanças você pode fazer para melhorar a experiência do usuário. Você pode começar com ferramentas como Google Analytics e Hotjar para mapear a otimização da sua taxa de conversão.

Otimização de mecanismos de pesquisa (SEO) e PPC

Os recursos de SEO ajudarão você a aumentar a presença online do seu site de comércio eletrônico. Certifique-se de que sua solução de comércio eletrônico se integre perfeitamente às atividades de SEO para direcionar o tráfego orgânico para o seu site e ajudá-lo a se manter à frente de seus concorrentes nas classificações do mecanismo de pesquisa.

Da mesma forma, você precisa ter fortes campanhas de PPC para comercializar e promover seus produtos e vender online. O importante aqui é entender a diferença entre SEO e PPC. SEO é feito para melhorar suas classificações de busca orgânica / natural, e PPC é a campanha paga que você executa online para atrair visitantes. Você precisa manter o equilíbrio certo entre as técnicas de marketing de SEO e PPC para direcionar o tráfego relevante para o seu site.

Integração de mídia social

A mídia social é o meio mais forte para promover seu negócio online. A solução de comércio eletrônico que você planeja implementar deve ter recursos de mídia social para que seus produtos ou serviços recebam menções relevantes em vários canais de mídia social, como YouTube, Facebook, Twitter e Instagram.

Lembre-se de que os clientes usam a mídia social em grande parte para fazer compras online, bem como para falar sobre produtos e marcas. Eles escrevem avaliações de produtos em vários canais sociais sobre sua experiência de compra, recomendam produtos para seus contatos e também adicionam itens ao carrinho de compras com base nas recomendações feitas por seus contatos sociais. Portanto, as ferramentas de mídia social em seu site tornarão mais fácil para seus clientes falarem sobre seus produtos e serviços nos canais sociais.

9. Parceiro de desenvolvimento de comércio eletrônico

Quer você escolha uma solução de comércio eletrônico ou de código aberto, você precisará de um parceiro de desenvolvimento para implementar o software e a solução de comércio eletrônico ideal. Escolher o fornecedor certo de soluções de comércio eletrônico pode ser uma tarefa altamente desgastante. Portanto, você precisa considerar os seguintes fatores para fazer a escolha certa:

Quantas implementações o provedor de soluções fez na solução de comércio eletrônico que você escolheu?

O provedor de soluções implementou a solução em seu setor?

Para que tipo de clientes trabalharam?

Eles seguem os melhores processos e metodologias da indústria?

Eles ganharam algum prêmio pelas soluções que desenvolveram?

Eles têm recursos tecnicamente qualificados?

Quais certificações e credenciais eles têm relevantes para a solução que você escolheu?

Além disso, você pode falar diretamente com clientes anteriores de um provedor de soluções para saber suas avaliações sobre os serviços oferecidos por seu parceiro de desenvolvimento de comércio eletrônico.

10. Feedback e melhoria contínua

Assim que todas as implementações forem feitas e seu site de comércio eletrônico estiver no ar, você saberá realmente como seus clientes respondem ao seu site. Agora é a hora de monitorar ativamente o que está acontecendo em seu site. Você precisa se aprofundar nas estatísticas de análise da web do seu site e identificar as áreas de melhoria com base nesses insights.

Você também precisa ter um mecanismo de feedback forte para que os usuários possam enviar sugestões e feedback facilmente. Todos os dados que você coleta por meio de ferramentas de análise e feedback do cliente formarão a base das melhorias que você precisa fazer. A melhoria contínua é a chave para acompanhar as mudanças nos requisitos do cliente. É um processo contínuo e você precisa monitorar os dados que obtém de campanhas de análise, SEO, mídia social e PPC para fazer melhorias contínuas. Também é essencial acompanhar os avanços tecnológicos. Por exemplo, a pesquisa por voz está pronta para transformar as compras e o comércio eletrônico.

Conclusão

Decidir sobre a melhor plataforma de comércio eletrônico ou construir toda a solução de comércio eletrônico do zero é uma tarefa enorme. A combinação de todos os fatores mencionados neste artigo pode certamente ajudar empresas de todos os tamanhos a cumprirem suas metas de comércio eletrônico. A maioria das organizações tem o equívoco de que, depois de encontrar a melhor solução disponível no mercado, o resto cairá no lugar. Ao contrário, não importa o tamanho da solução, o sucesso depende de como você traça sua estratégia de implementação. Desde a pesquisa sobre as principais tendências de comércio eletrônico, os vários serviços de solução de comércio eletrônico até chegar à empresa ideal de desenvolvimento de sites de comércio eletrônico, o caminho para construir um negócio online de sucesso é longo, mas vale a pena percorrer.

xxxxxxx

Crie um site de comércio eletrônico do zero como um profissional

De acordo com relatórios de pesquisa, o crescimento dos negócios online em todo o mundo é significativamente mais rápido e maior em comparação com os negócios tradicionais. O sucesso dos negócios de comércio eletrônico tem sido tão impactante que até mesmo casas de negócios estabelecidas começaram a venda online como um esforço complementar. No entanto, comecemos pelo princípio, no caso do comércio eletrônico, é obrigatório criar um site de comércio eletrônico no início.

Existe uma maneira definitiva de realizar o processo de criação e operação de um site de comércio eletrônico . Embora o envolvimento profissional seja sempre solicitado para esses esforços, o conhecimento justo também pode ajudar a iniciar um negócio online .

Siga estas etapas para construir sua loja de comércio eletrônico do zero:

Decida o produto que você deseja vender

Ao navegar na Internet, você deve ter notado a existência de vários sites de comércio eletrônico que vendem itens variados . Existem alguns sites dedicados à venda de uma determinada linha de produtos ou serviços, como roupas, planos de viagem, itens de moda, etc. Além disso, existem alguns outros sites de comércio eletrônico que vendem vários itens, como telefones celulares, laptops, eletrodomésticos, livros, CDs , home theaters, câmeras úteis, artigos esportivos e assim por diante. Este último é como uma grande loja de departamentos que vende tudo sob o mesmo teto.

Por isso, é importante, desde o início, decidir sobre o produto ou serviço que deseja vender através do seu site. Ao decidir sobre o item de comércio é essencial estimar a demanda local. Os compradores sempre preferem comprar itens de um fornecedor local, independentemente de estarem online ou offline. O fornecedor local sempre garantiria entregas mais rápidas, condições de pagamento mais fáceis e substituições antecipadas em caso de remessas erradas ou defeituosas.

Escolha o seu modelo de negócios

Como proprietário de uma empresa de comércio eletrônico, você pode escolher seu modelo de negócios de acordo com suas necessidades. Você pode vender apenas por meio de sua loja online ou pode vender seus produtos em mercados como Amazon, Flipkart, eBay, etc. Você também pode vender seus produtos em ambas as plataformas ao mesmo tempo.

Escolha uma empresa e um nome de domínio

Depois de decidir a variedade de itens e o modelo de negócios, a próxima etapa seria escolher o nome da empresa e criar um domínio. O nome de uma empresa deve ser relevante para seus produtos e fácil de lembrar para seu público-alvo. Um domínio fornece uma identidade e torna mais fácil para os compradores online reconhecê-lo. No entanto, para empresas com recursos financeiros limitados, seria desejável obter um domínio compartilhado. Compartilhar um domínio com um nome estabelecido facilita o contato com seus compradores-alvo. Conforme o negócio cresce, é aconselhável ter um domínio dedicado, pois ajuda na otimização do mecanismo de pesquisa e no reconhecimento mais fácil.

Selecione um construtor de sites de comércio eletrônico

Hoje em dia, é muito simples construir sua loja online com a ajuda de construtores de sites de comércio eletrônico como o Shiprocket 360 . Este software DIY online cria sites em poucos segundos onde você pode começar a vender produtos instantaneamente.

Projetando sua loja de comércio eletrônico

Seu site de comércio eletrônico é sua loja e precisa ser projetado para a conveniência de seus compradores. Seu site deve conter detalhes sobre seus produtos e serviços vendáveis. Imagens, descrições , preços, comentários de usuários, classificações devem ser incluídos em sua página da web para orientar os compradores em potencial. Você deve ter certeza de que sua página da web mostra seus produtos perfeitamente para que os compradores nunca sejam enganados. Você deve tornar suas páginas da web e seu site atraentes, pois são a representação de sua marca para os compradores online.

Configurar o gateway de pagamento

Como um negócio online, é necessário ter várias opções de pagamento disponíveis para os clientes. Os criadores de eStore, como o Shiprocket 360, vêm com ferramentas que podem configurar essas funcionalidades para o seu site automaticamente. O cliente deve ser capaz de fazer pagamentos através de cartão de crédito, cartão de débito, carteiras online, net banking, COD , etc.

Proteja seu site instalando o certificado SSL

Para todos os sites que transferem dados online, deve-se ter certeza de que sua conexão está protegida por uma Secured Security Layer (SSL). O certificado SSL mantém seu site seguro e gera confiança entre seus clientes. Hoje em dia, até o Google recomenda ter um certificado SSL para cada site.

Selecione o seu parceiro de envio

Depois de começar a vender produtos por meio de seu site de comércio eletrônico, você precisa enviar esses produtos para seus clientes com a ajuda de serviços de correio. Os serviços agregadores de logística de comércio eletrônico, como o Shiprocket, são a melhor opção. Eles oferecem várias opções de agência de correio para enviar seu produto com as taxas de envio mais baixas disponíveis, para que você tenha o valor máximo de lucro em sua parte.

Estas são as etapas básicas para criar um site de comércio eletrônico para seu produto ou serviço e começar a vender instantaneamente.

XXXX

12 etapas para construir um site de comércio eletrônico de sucesso em 12 meses

Alguns especialistas prevêem que o comércio eletrônico ultrapassará US $ 2 trilhões em vendas nos próximos anos – é o setor de crescimento mais rápido e um dos mais valiosos.

Quando você pode fazer compras on-line, finalizar a compra com facilidade e, em seguida, ter seu par de jeans favorito, um belo relógio novo ou até mesmo um computador personalizado enviado diretamente à sua porta, você pode pensar que o processo não é tão complicado.

Como profissional de marketing digital, ajudei várias marcas a aumentar as vendas por meio do e-commerce . Isso me fez querer começar meu próprio site de e-commerce, para que eu pudesse realmente entender o processo e o que é necessário para lançar uma loja online do zero.

Abaixo estão dicas e truques que aprendi durante o ano que minha irmã e eu levamos para lançar o DermWarehouse , um site de comércio eletrônico que vende produtos de beleza e cuidados com a pele . As etapas descritas abaixo não apenas garantirão que você siga o caminho mais rápido e profissional para colocar seu site em funcionamento, mas também definirão seu marketing e SEO para um sucesso futuro, o que aumentará seus resultados financeiros.

Estratégia de SEO de um ano.

Se você nunca começou uma loja de e-commerce do zero, é impossível entender o quão demorado e detalhado é o processo. Ao olhar para qualquer site de comércio eletrônico, você nunca pensa no fato de que alguém teve que criar conteúdo e carregar individualmente cada produto. Não só isso, você também tem que negociar com cada fabricante para poder listar seus produtos online, antes mesmo de começar o processo de listagem real.

Além de todo o trabalho necessário para realmente construir o site, com base na minha experiência em agência de marketing, entendi como pode ser frustrante ter esse site e modelo de negócios funcionando no qual você trabalhou tanto, mas sem gerar tráfego orgânico. Portanto, iniciamos nossa estratégia de SEO no início, um ano antes do lançamento do site, ao mesmo tempo em que construímos nosso website. Precisávamos desse tempo de qualquer maneira para o desenvolvimento, então por que não aproveitá-lo ao máximo e matar dois coelhos com uma cajadada só?

Abaixo está uma lista de todas as etapas que seguimos para começar e construir com sucesso nosso site de comércio eletrônico:

1. Compre um nome de domínio.

Isso é muito simples. Você precisa de um nome de domínio que identifique perfeitamente sua marca. Não pense demais no processo. Usando um site como o GoDaddy , você pode comprar um nome de domínio por menos de $ 10,00.

Relacionado:  Como escolher e comprar um nome de domínio

2. Encontre um desenvolvedor web.

Este é um componente crucial no lançamento de seu site de comércio eletrônico. Se você deseja lançar seu site em um período de tempo relativamente curto e de maneira profissional, certifique-se de fazer uma avaliação quando se tratar de contratar um desenvolvedor. Obtenha referências de outros sites de comércio eletrônico que o desenvolvedor construiu. Obtenha um cronograma de quanto tempo eles estimam que levará para lançar o site. Certifique-se de que eles tenham um fundo de design gráfico para que possam recortar imagens que se alinhem ao seu site. Certifique-se de perguntar se o desenvolvedor tem experiência na construção de sites na plataforma de comércio eletrônico que você escolher (consulte a etapa 4).

Muitas vezes, os empreendedores avançam com um desenvolvedor sem fazer a devida diligência em termos de pesquisa. Não deixe que isso aconteça com você, pois isso pode interromper o seu site antes mesmo de você começar. Se você quiser saber mais sobre quanto tempo seu site de comércio eletrônico deve levar para ser lançado, sinta-se à vontade para entrar em contato com um especialista em web design .

Relacionado:  5 dicas para contratar um ótimo desenvolvedor da Web

3. Obtenha toda a papelada necessária para um negócio legítimo.

Registre sua empresa, obtenha uma licença de fornecedor e comece a examinar questões jurídicas de negócios. Você deve entrar em contato com um advogado local para ajudá-lo na criação de seu negócio. Embora seja um custo inicial, é provável que você economize dor de cabeça e despesas significativas no futuro.

De acordo com Alyson Letsky, um advogado da Eastman & Smith Ltd. em Columbus, Ohio , você primeiro precisará traçar uma estratégia e determinar o estado no qual deseja ser domiciliado e, em seguida, verificar os registros exigidos com o Secretário de Estado desse estado e o departamento de tributação ou receita.

Você precisará registrar os artigos de incorporação ou organização apropriados com o Secretário de Estado do seu estado se estiver começando uma corporação, sem fins lucrativos, sociedade de responsabilidade limitada ou organização profissional. Além disso, se você estiver fazendo vendas tributáveis, precisará obter uma Permissão de Vendedor ou Licença de Vendedor com a agência estadual apropriada. Muitos fornecedores exigirão que você também tenha isso antes de concordarem em trabalhar com você.

Se você está começando uma organização sem fins lucrativos, verifique com o escritório do procurador-geral do estado para saber quais licenças e registros de caridade são necessários. Por último, você precisará dos documentos organizacionais apropriados. Entre em contato com seu advogado para obter mais informações, mas esta não é uma etapa a ser ignorada.

Relacionado:  4 documentos legais que você precisa revisar antes de 2017

4. Selecione o comércio eletrônico e a plataforma de hospedagem do site.

Para economizar tempo e dinheiro, selecione uma plataforma de comércio eletrônico popular. Eu recomendo Shopify , WooCommerce ou BigCommerce . A maioria dos desenvolvedores está familiarizada com eles, o que facilita a integração de plug-ins, processamento de pagamentos, etc.

Para nosso site de comércio eletrônico de cuidados com a pele, decidimos usar WooCommerce por causa de seus recursos de WordPress. Escolhemos o WP Engine para a hospedagem, que custa US $ 29,99 por mês e oferece uma solução de hospedagem rápida e segura.

Relacionado:  Surpreendido pelas soluções de comércio eletrônico disponíveis? Aqui estão os 4 principais.

5. Encontre um tema que corresponda à sua visão de comércio eletrônico.

Para economizar ainda mais tempo, você pode comprar um tema da ThemeForest para encontrar um layout que se assemelhe à aparência que você deseja do ponto de vista do comércio eletrônico. ThemeForest tem mais de 28.000 modelos de sites e temas a partir de $ 2. Eles são o principal mercado de modelos de sites.

Não reinvente a roda. Em vez de construir seu site do zero, baixe um modelo de ThemeForest ou um site semelhante. Aprendemos com a experiência que o processo de personalização pode ser muito oportuno e frustrante. Portanto, se você encontrar um tema de que goste, provavelmente evitará uma grande dor de cabeça.

Relacionado:  5 maneiras pelas quais as cores da loja podem influenciar os compradores

6. Leve seu site ao vivo.

Assim que você se comprometer em iniciar seu negócio, coloque seu site no ar, antes mesmo de listar qualquer um de seus produtos. Faça com que seu desenvolvedor crie uma página inicial, uma página “Sobre nós” e uma página de contato. Não precisa ser bonito, mas ter um site em funcionamento será útil por vários motivos:

Primeiro, permitirá que você estabeleça legitimidade ao negociar acordos com fornecedores. Você terá mais do que apenas uma ideia. Em segundo lugar, ao entrar em contato com repórteres e blogueiros, eles podem ver que você tem um site e é confiável. Terceiro, ele fornecerá um local para todas essas fontes vincularem de volta ao seu site, o que é, obviamente, a chave para a construção de SEO.

Relacionado:  Cinco coisas a verificar antes de seu novo site entrar no ar

7. Ajude um Repórter (HARO)

Help A Reporter Out (HARO) é uma das melhores ferramentas de RP e SEO que qualquer empresário ou profissional de marketing digital pode utilizar. É gratuito, gera uma exposição incrível (se executado corretamente) e pode realmente ser uma virada de jogo (novamente, se executado corretamente).

O HARO fornece aos jornalistas um banco de dados robusto de fontes para as próximas histórias e oportunidades diárias de fontes para garantir uma cobertura valiosa da mídia. Inscreva-se e use este recurso o máximo que puder para construir credibilidade e estabelecer relacionamentos com a mídia para seu site.

Quando se trata de HARO, existem vários componentes-chave para a execução. O primeiro é a oportunidade. Quando um repórter envia uma consulta, ele pode receber centenas de argumentos de venda em resposta. Cada consulta também tem um prazo, portanto, responder imediatamente, de manhã, à tarde e à noite, é fundamental por ambos os motivos.

O segundo elemento chave é encontrar um verdadeiro especialista do setor com facilidade de acesso. Felizmente, tínhamos um dermatologista à nossa disposição o tempo todo para a DermWarehouse. Isso nos deu uma vantagem sobre os milhares de pitches que tratam de empreendedorismo (aos quais ainda respondíamos também, mas com uma taxa de conversão menor).

Se você gastar o tempo e enviar de volta dois argumentos de venda por dia durante o período de um ano, obterá uma exposição tremenda em alguns dos sites mais populares da web. Isso não só ajudará a aumentar a exposição da sua marca, como também ajudará muito o seu SEO.

Relacionado:  5 dicas para fazer a mídia ‘deslizar para a direita’ em seu comunicado à imprensa

8. PitchBox.

Desenvolver relacionamentos com os contatos da mídia é muito importante. É aqui que o Pitchbox entra. O Pitchbox automatiza o trabalho pesado de divulgação para que você possa se concentrar no que faz de melhor – criando conexões reais, pessoa a pessoa, com as pessoas que deseja alcançar. O Pitchbox ajuda a dimensionar seus esforços de divulgação. Ele lida com todos os aspectos, desde a prospecção até o envio por e-mail, acompanhamento e gerenciamento do fluxo de trabalho.

Depois que a PitchBox enviar um argumento de venda inicial, se alguém não responder, seu software SaaS enviará um e-mail de acompanhamento com base em uma programação cronometrada. Você pode criar seus próprios e-mails (inicial e de acompanhamento) para que a mensagem ainda soe pessoal.

Pitchbox começa em US $ 95 para startups e é um grande recurso para gerar relacionamentos de alta qualidade. Usamos esse serviço para divulgação do fornecedor e também para divulgação da mídia. Isso nos economizou uma quantidade enorme de tempo. Se você também é um usuário do Moz, pode integrá-lo ao Pitchbox, permitindo que você filtre os resultados da pesquisa com base na autoridade do domínio.

Relacionado:  7 dicas para dominar a arte do acompanhamento

9. Alcance personalizado.

Relacionamentos personalizados são muito importantes, tanto para fornecedores quanto para a mídia. Se você implementou com sucesso uma estratégia de SEO, definitivamente entende o valor dos relacionamentos personalizados.

 Certifique-se de apresentar ao site algo de valor. É importante fazer pesquisas sobre repórteres e editores para que, quando você lhes der uma ideia de história, o e-mail não fique enterrado em sua caixa de entrada ou excluído sem ler.

Digamos que sua loja de comércio eletrônico venda “Pete’s Pasta Sauce”. Compartilhe sua experiência por meio de artigos ensinando leitores e aficionados da culinária sobre suas receitas mais deliciosas. Envie a um editor uma amostra de seu molho de macarrão para ajudar a explicar por que seu pesto se destaca entre os concorrentes.

Se você estiver vendendo apenas seu próprio molho de massa caseiro, não estará lidando com relacionamentos com fornecedores, mas se estiver vendendo diferentes marcas e produtos, estará trabalhando em estreita colaboração com esses fornecedores. Ou pelo menos você deveria estar!

Pegue o telefone ou encontre seu representante para um café. Os vendedores são as pessoas que ditam as vendas e as promoções. Eles podem mantê-lo atualizado sobre as últimas tendências de suas marcas para ajudar a impulsionar suas vendas. Eles são as pessoas que mais sabem sobre os produtos que você vende, por isso é muito importante estabelecer relações com eles. Deixe-os saber que você é uma equipe e deseja trabalhar com  eles para garantir o sucesso para vocês dois. Eles vão gostar e pensar em você sempre que tiverem uma oferta ou promoção especial, ou mesmo uma grande ideia de marketing. Se você construiu um relacionamento com eles, é o seu site que eles desejam compartilhar essas ideias e ofertas.

Relacionado:  Por que uma chamada telefônica é melhor do que um e-mail (normalmente)

10. Obtenha um  gateway de pagamento .

Você já se perguntou como os pagamentos com cartão de crédito são aceitos em sites de comércio eletrônico? É através de um gateway de pagamento e também de um processador de cartão de crédito. Você provavelmente está mais familiarizado com o PayPal ou Stripe. Mas se você deseja aceitar cartões de crédito, cobrança recorrente e pagamento móvel, um gateway como o authorize.net ou 2Checkout.com oferece ótimas opções. WooRockets.com fornece uma grande lista dos “ 5 melhores gateways de pagamento para sites de comércio eletrônico ”.

Obter a aprovação para um gateway de pagamento e processador de cartão de crédito não é um processo fácil, então faça sua pesquisa e certifique-se de estar preparado. Antes de se inscrever, você precisará configurar um processo de checkout seguro em seu site, criar uma Política de Privacidade e Política de Devolução, descobrir seus métodos de envio e entrega, além de ter um número de telefone de atendimento ao cliente e endereço de e-mail em funcionamento.

Todas essas informações precisam estar visíveis em seu site. Certifique-se também de ter um histórico de crédito limpo, uma carteira de motorista ou identidade estadual dos EUA, uma conta bancária nos EUA para a empresa onde os fundos serão depositados e uma identificação fiscal federal. Você precisará de um cheque anulado (ou de uma carta do banco com as informações de sua conta) e também é uma boa ideia incluir uma carta de apresentação com sua inscrição explicando seu negócio e por que você terá sucesso.

A configuração do gateway de pagamento e o processamento do cartão de crédito pode demorar um pouco. Esses processadores não querem correr um grande risco em um negócio sem experiência ou que provavelmente não terá sucesso, então você deve provar a eles que esse não é o caso do seu negócio. Não espere até o último minuto para iniciar este processo.

Relacionado:  5 recursos a serem observados ao selecionar o modelo de pagamento eletrônico correto

11. Google Shopping + Catálogo de produtos do Facebook.

Falamos muito sobre como construir sua presença de SEO durante o processo de desenvolvimento para que, ao invés de esperar que o desenvolvimento do site seja concluído e começar seu SEO do zero, você possa começar a reforçar seu SEO enquanto seu desenvolvedor está trabalhando em seu local.

Existem algumas coisas, no entanto, que você não pode concluir até que o site esteja pronto para ser lançado e todos os produtos tenham sido carregados. Quando você estiver nos estágios finais de desenvolvimento, certifique-se de configurar sua campanha do Google Shopping para garantir que as imagens de seus produtos sejam preenchidas quando os usuários pesquisarem por palavras-chave relevantes. Se você não está familiarizado com o Google Shopping, dou instruções passo a passo em “ 4 etapas fáceis para configurar uma campanha do Google Shopping por meio do Merchant Center. 

Você pode usar esse mesmo feed de dados do Merchant Center e carregá-lo no catálogo de produtos do Facebook.

Relacionado:  O onisciente Google vai lançar alertas de compras acionados geograficamente

12. Solicite embalagens e descubra as opções de envio / armazenamento.

Antes de lançar seu site, você precisará descobrir como armazenar e enviar seu inventário. Você terá que determinar o armazenamento para fazer acordos com seus fornecedores. Algumas perguntas que você precisará responder são as seguintes:

Você utilizará o transporte direto ou armazenará todo o seu estoque em um depósito? Você usará USPS, UPS, FedE ou alguma combinação dos três para enviar e rastrear pacotes? Em que você enviará seu pacote? Que tamanho de embalagem você precisa? Você vai incluir algum material promocional em seus pacotes? Existem restrições de envio para algum dos produtos que você está oferecendo (por exemplo, alguns produtos de beleza só podem ser enviados por via terrestre)?

Você precisa de respostas para todas essas perguntas antes de estar pronto para enviar qualquer mercadoria. Como você pode ver, iniciar um site de comércio eletrônico é um processo bastante complexo e detalhado. Seguir esta lista de verificação garantirá que você tome as medidas adequadas para lançar seu site em tempo hábil, sendo proativo com seu SEO e marketing.

[/et_pb_text][/et_pb_column] [/et_pb_row] [/et_pb_section]

Registrador, Hospedagem e Website. Conheça as Diferenças

Se você está em fase de onboarding conosco, é possível que a esta altura já tenha recebido um formulário onde pedimos acesso ao seu

Registrador

Hospedagem

Website

Entendemos que nem todas as pessoas tem o conhecimento ou sabem a diferença entre estes elementos. Começo dizendo que todos eles são necessários para que seu website funcione, e para que possamos executar nosso serviço, precisamos de acesso a todos eles.

Na verdade é bastante simples.

Registrador

O registrador é o local onde o seu domínio está registrado. No Brasil e para domínio com Top Level Domain (TLD) .com.br, em geral este local é o registro.br ,que é o registrador oficial do Brasil.

É neste local que você faz a escolha e o registro do domínio do seu site. Seu domínio nada mais é, do que o endereço do seu site na internet.

Hospedagem/Host

A hospedagem é onde seu site está hospedado. Um site precisa de um local para ficar, no Brasil, as pessoas em geral utilizam UOL Host, Hostgator ou Locaweb. É na sua hospedagem que fica configurado o seu website e também os e-mails, caso utilize e-mails corporativos, como [email protected]

Website

Seu website, é seu website! Não há muito o que dizer. Em geral seu website terá um acesso administrativo, composto de e-mail e senha. Precisamos deste acesso. É imprescindível que seu acesso seja de administrador.

Se você não tiver, peça para o seu desenvolvedor.

Mas, como saber se meu acesso é de administrador?  Isto é fácil, e vou mostrar aqui como ver isto no WordPress, que é a plataforma utilizada pela maioria dos clientes, e provavelmente a sua.

Vamos lá?

1. Acesse o backend do seu site, em geral acessível no link seusite.com.br/wp-admin ou seusite.com.br/login

2. Na lateral esquerda, há uma aba composta de alguns ícones. Procure a aba chamada “users/usuários”

3. Você verá uma lista parecida com esta

Na aba função, verifique se está marcado “Administrador” na linha correspondente ao seu nome.

Se não estiver, ou se a aba “usuários/users” não estiver acessível, é sinal que você não é o administrador do seu site.

Nós precisamos do acesso administrador. Entre em contato com seu desenvolvedor ou a pessoa responsável pelo seu site e solicite este acesso.

Como publicar um vídeo não listado?

Para publicar seu vídeo não listado é muito fácil. Estes vídeos são úteis para utilizar no website e em algumas integrações.

É muito fácil:

1. Caso não tenha, crie uma conta no YouTube,

2. Se não souber como, siga este tutorial (https://support.google.com/youtube/answer/161805?co=GENIE.Platform%3DAndroid&hl=pt-BR)

3. Faça Upload do seu vídeo

4. Configure o seu canal, utilizando de preferência imagens da sua marca/produto/serviço

5. Faça upload e marque o vídeo como UNLISTED/ NÃO LISTADO

6. Compartilhe o link conosco

Devo contratar uma CONSULTORIA de ECOMMERCE?

O crescimento do comércio eletrônico, a mudança de cenário com a pandemia e fez com que muitas pessoas que sempre tiveram o sonho de ter um negócio, decidissem empreender e montar um, e o que é melhor do que um e-commerce para isto?

Lojas tradicionais têm mais risco, pois há custos recorrentes e altos, como custos com locação de um imóvel, móveis, colaboradores, ar condicionado, IPTU, uniforme, produtos e muitos outros. Tendo eu mesmo tido algumas lojas tradicionais, eu poderia ficar falando o dia inteiro sobre as vantagens e desvantagens em ter uma loja tradicional.

Não se engane, foi-se o tempo no qual um comércio eletrônico era algo para fazer nas horas vagas ou sem qualquer planejamento. Ter uma loja online e esperança não garante sucesso. É necessário planejamento e são muitas as etapas envolvidas para que seu negócio tenha chances de ter sucesso.

All signs on green for e-commerce? No, just East Commerce Street in San Antonio.  Tip: there is also a E Commerce Street sign available with red lights (see my photo line).
Photographer: Mark König | Source: Unsplash

Eu trabalho com comércio eletrônico desde 2007, já se vão 13 anos, e neste tempo, vi o panorama mudar completamente.

Minha primeira ” loja” não pode ser chamada de loja, pois era apenas uma página na qual eu vendia um produto só. Havia apenas a foto do produto, uma breve descrição e um botão para a pessoa pagar. Não era possível nem mesmo cobrar um frete diferente por região, mas acredite, eu ganhei muito dinheiro com esta única página. Era normal nosso faturamento, ser acima de R$ 25.000 reais por mês a época, isto atualizado para valores atuais, passa dos R$ 60.000 por mês! Com uma página, e um produto!

Tenho comércio eletrônico até hoje, portanto, não falo apenas sobre comércio eletrônico, eu sou um empreendedor na área e sempre busco novas tecnologias, técnicas e sistemas que aprimorem o negócio e aumentem nosso retorno, por isto, considero que estou em uma posição única para orientar os clientes da Eikonikos.

Mas afinal, o que faz uma consultoria para comércio eletrônico?

Quando você decide montar seu comércio eletrônico, há muitas coisas que precisam ser definidas, como por exemplo:

Veja, estas são apenas algumas perguntas básicas para as quais você precisa ter uma definição antes mesmo de comprar o primeiro produto. Aqui na Eikonikos, nós orientamos nossos clientes por estes caminhos, considerando grau de experiência do empreendedor, facilidade com tecnologia, região na qual estará sua sede, e por ai vai. Não é mais aceitável montar um negócio sem planejamento.

Um negócio sem planejamento, é apenas um hobby caro.

É neste momento, do planejamento, que uma consultoria para o seu e-commerce é necessária, para auxiliar a definir o melhor caminho e saídas estratégicas para o seu negócio.

Quais os benefícios de contratar uma CONSULTORIA de E-COMMERCE?

Há diversos, mas se eu tivesse que enumerar apenas dois, diria: economia de tempo e dinheiro. Mesmo que você tenha tempo de sobra, é arriscado montar um negócio online sem nenhuma orientação, e a chance que você tenha prejuízo é grande. Uma escolha errada, por exemplo, de plataforma, é algo difícil de mudar depois, com sua loja já estabelecida.

Algumas plataformas têm custos recorrentes altos, e isto pode pesar nos seus custos de carregamento. Se você contratar por exemplo uma empresa que não esteja habituada a otimização onpage , você acabará com um site lindo, se tanto, mas que não converte em vendas, pois os elementos de otimização e conversão online não foram considerados durante o projeto.

Muitas vezes, é necessário utilizar ferramentas adicionais para operar sua plataforma, como por exemplo, softwares para lidar com envio, impostos, etc, e se isto não foi considerado antes da escolha da plataforma, você poderá se surpreender com uma bela — e recorrente — fatura para pagar todos os meses, vendendo ou não.

Contratar um consultoria para comércio eletrônico ajuda a focar no que interessa e a fazer escolhas baseadas em informações provadas ao longo de anos de experiência.

Quanto custa uma CONSULTORIA para o seu ECOMMERCE?

Esta é sem dúvida a principal pergunta de quem deseja contratar uma consultoria para seu comércio eletrônico, e vou dar aqui, a resposta mais odiada de todos os tempos. Depende!

Depende do que? Veja abaixo onde você se enquadra:

Eu não tenho um site, estou começando a pesquisar

Depende exatamente o que você deseja. Se você quiser apenas uma orientação geral, podemos fazer isto em uma chamada, e com duas horas de consultoria a questão está resolvida. Nesta chamada, vamos falar sobre o seu negócio, as melhores plataformas, como utilizar cada plataforma e quais são as mais adequadas para o seu negócio.

Caso você precise de uma visão geral do negócio, e queira saber o básico, como por exemplo:

Tudo isto e muito mais, pode ser respondido neste chamada. Caso tenha interesse em agendar uma chamada, faça diretamente no nosso website.

Aconselho isto para quem ainda não começou, e deseja uma visão geral, um caminho, de como montar seu negócio.

Eu já tenho um site, mas quero melhorar meus processos.

Se este for seu caso, é necessário mais do que uma chamada. O processo envolve uma chamada inicial para entendermos a situação atual do seu negócio, e onde pretende chegar.

Também faremos uma auditoria técnica do seu website, apontando onde é possível melhorar, aspectos de SEO que — quase sempre — precisam de intervenção e ajustes. Estima-se que uma ” renovação” no site e ajustes, possam aumentar o tráfego em mais de 30%, além de ajudar nas conversões.

Suas redes sociais também são verificadas, e traçamos um plano completo para usar da melhor forma possível o tráfego orgânico.

Caso você invista em campanhas pagas, também serão auditadas suas campanhas, para identificar pontos de melhora e oportunidades. Tudo é entregue em um relatório para execução e fácil de ser seguido.

Opcionalmente, podemos implementar também as mudanças que sugerimos. Caso seu orçamento esteja limitado ou você é do tipo que gosta de fazer, sugerimos, que deixe conosco a execução da otimização OnPage, pois ela é a mais técnica de todas, e um leigo terá dificuldades em implementar da maneira correta.

Por último, pode ser que você entre neste situação,

Não tenho um site, e gostaria que vocês fizessem tudo

Neste caso, fazemos uma chamada, definimos um plano de ação, e implementamos tudo, do website, integrações, campanhas de vendas, otimização, simplesmente tudo que for necessário para o seu negócio online.

Neste caso sua preocupação será somente com o lado administrativo da loja, fazemos até mesmo as integrações com o seu gestor de nota fiscal, setup de produtos , marketplaces. Este é o serviço completo, mas também, o que requer um maior grau de investimento.

Espero que este ARTIGO sobre CONSULTORIA para E-COMMERCE tenha auxiliado a entender melhor o papel do consultor, e as vantagens de contratar o serviço.

Quer falar conosco? Entre em contato através do chat em nosso website.

Consultor de ecommerce

O que é uma CONSULTORIA de ECOMMERCE

O crescimento do comércio eletrônico, a mudança de cenário com a pandemia e fez com que muitas pessoas que sempre tiveram o sonho de ter um negócio, decidissem empreender e montar um, e o que é melhor do que um e-commerce para isto?

Lojas tradicionais têm mais risco, pois há custos recorrentes e altos, como custos com locação de um imóvel, móveis, colaboradores, ar condicionado, IPTU, uniforme, produtos e muitos outros. Tendo eu mesmo tido algumas lojas tradicionais, eu poderia ficar falando o dia inteiro sobre as vantagens e desvantagens em ter uma loja tradicional.

Não se engane, foi-se o tempo no qual um comércio eletrônico era algo para fazer nas horas vagas ou sem qualquer planejamento. Ter uma loja online e esperança não garante sucesso. É necessário planejamento e são muitas as etapas envolvidas para que seu negócio tenha chances de ter sucesso.

5bZwJbqSz67gQ1riwPvw

 

Eu trabalho com comércio eletrônico desde 2007, já se vão 13 anos, e neste tempo, vi o panorama mudar completamente.

Minha primeira ” loja” não pode ser chamada de loja, pois era apenas uma página na qual eu vendia um produto só. Havia apenas a foto do produto, uma breve descrição e um botão para a pessoa pagar. Não era possível nem mesmo cobrar um frete diferente por região, mas acredite, eu ganhei muito dinheiro com esta única página. Era normal nosso faturamento, ser acima de R$ 25.000 reais por mês a época, isto atualizado para valores atuais, passa dos R$ 60.000 por mês! Com uma página, e um produto!

Tenho comércio eletrônico até hoje, portanto, não falo apenas sobre comércio eletrônico, eu sou um empreendedor na área e sempre busco novas tecnologias, técnicas e sistemas que aprimorem o negócio e aumentem nosso retorno, por isto, considero que estou em uma posição única para orientar os clientes da Eikonikos.

Mas afinal, o que faz uma consultoria para comércio eletrônico?

Quando você decide montar seu comércio eletrônico, há muitas coisas que precisam ser definidas, como por exemplo:

  • Qual plataforma vou utilizar?
  • Qual meio de pagamento irá usar para processar suas vendas?
  • Qual a melhor plataforma para enviar seus produtos?
  • Onde desenho meu logotipo?
  • E minhas embalagens?
  • Como registro um domínio?
  • Como crio um email para o meu negócio?
  • Devo usar um bot ou não?
  • Qual a melhor plataforma para fazer meus anúncios?

Veja, estas são apenas algumas perguntas básicas para as quais você precisa ter uma definição antes mesmo de comprar o primeiro produto. Aqui na Eikonikos, nós orientamos nossos clientes por estes caminhos, considerando grau de experiência do empreendedor, facilidade com tecnologia, região na qual estará sua sede, e por ai vai. Não é mais aceitável montar um negócio sem planejamento.

Um negócio sem planejamento, é apenas um hobby caro.

É neste momento, do planejamento, que uma consultoria para o seu e-commerce é necessária, para auxiliar a definir o melhor caminho e saídas estratégicas para o seu negócio.

Quais os benefícios de contratar uma CONSULTORIA de E-COMMERCE?

Há diversos, mas se eu tivesse que enumerar apenas dois, diria: economia de tempo e dinheiro. Mesmo que você tenha tempo de sobra, é arriscado montar um negócio online sem nenhuma orientação, e a chance que você tenha prejuízo é grande. Uma escolha errada, por exemplo, de plataforma, é algo difícil de mudar depois, com sua loja já estabelecida.

Algumas plataformas têm custos recorrentes altos, e isto pode pesar nos seus custos de carregamento. Se você contratar por exemplo uma empresa que não esteja habituada a otimização onpage , você acabará com um site lindo, se tanto, mas que não converte em vendas, pois os elementos de otimização e conversão online não foram considerados durante o projeto.

Muitas vezes, é necessário utilizar ferramentas adicionais para operar sua plataforma, como por exemplo, softwares para lidar com envio, impostos, etc, e se isto não foi considerado antes da escolha da plataforma, você poderá se surpreender com uma bela — e recorrente — fatura para pagar todos os meses, vendendo ou não.

Contratar um consultoria para comércio eletrônico ajuda a focar no que interessa e a fazer escolhas baseadas em informações provadas ao longo de anos de experiência.

Quanto custa uma CONSULTORIA para o seu ECOMMERCE?

Esta é sem dúvida a principal pergunta de quem deseja contratar uma consultoria para seu comércio eletrônico, e vou dar aqui, a resposta mais odiada de todos os tempos. Depende!

Depende do que? Veja abaixo onde você se enquadra:

Eu não tenho um site, estou começando a pesquisar

Depende exatamente o que você deseja. Se você quiser apenas uma orientação geral, podemos fazer isto em uma chamada, e com duas horas de consultoria a questão está resolvida. Nesta chamada, vamos falar sobre o seu negócio, as melhores plataformas, como utilizar cada plataforma e quais são as mais adequadas para o seu negócio.

Caso você precise de uma visão geral do negócio, e queira saber o básico, como por exemplo:

  • Onde registro meu domínio?
  • Qual plataforma utilizo?
  • Quais as melhores plataformas de pagamento?
  • Quais as melhores plataformas de logística?

Tudo isto e muito mais, pode ser respondido neste chamada. Caso tenha interesse em agendar uma chamada, faça diretamente no nosso website.

Aconselho isto para quem ainda não começou, e deseja uma visão geral, um caminho, de como montar seu negócio.

Eu já tenho um site, mas quero melhorar meus processos.

Se este for seu caso, é necessário mais do que uma chamada. O processo envolve uma chamada inicial para entendermos a situação atual do seu negócio, e onde pretende chegar.

Também faremos uma auditoria técnica do seu website, apontando onde é possível melhorar, aspectos de SEO que — quase sempre — precisam de intervenção e ajustes. Estima-se que uma ” renovação” no site e ajustes, possam aumentar o tráfego em mais de 30%, além de ajudar nas conversões.

Suas redes sociais também são verificadas, e traçamos um plano completo para usar da melhor forma possível o tráfego orgânico.

Caso você invista em campanhas pagas, também serão auditadas suas campanhas, para identificar pontos de melhora e oportunidades. Tudo é entregue em um relatório para execução e fácil de ser seguido.

Opcionalmente, podemos implementar também as mudanças que sugerimos. Caso seu orçamento esteja limitado ou você é do tipo que gosta de fazer, sugerimos, que deixe conosco a execução da otimização OnPage, pois ela é a mais técnica de todas, e um leigo terá dificuldades em implementar da maneira correta.

Por último, pode ser que você entre neste situação,

Não tenho um site, e gostaria que vocês fizessem tudo

Neste caso, fazemos uma chamada, definimos um plano de ação, e implementamos tudo, do website, integrações, campanhas de vendas, otimização, simplesmente tudo que for necessário para o seu negócio online.

Neste caso sua preocupação será somente com o lado administrativo da loja, fazemos até mesmo as integrações com o seu gestor de nota fiscal, setup de produtos , marketplaces. Este é o serviço completo, mas também, o que requer um maior grau de investimento.

Espero que este ARTIGO sobre CONSULTORIA para E-COMMERCE tenha auxiliado a entender melhor o papel do consultor, e as vantagens de contratar o serviço.

Quer falar conosco? Entre em contato através do chat em nosso website.

Porque contratar uma CONSULTORIA para ECOMMERCE

Primeiro, preciso fazer aqui aquilo que em inglês se chama “disclaimer”, ou seja, os possíveis interesses que tenho neste artigo. O primeiro é óbvio, minha empresa, a Eikonikos, é uma consultoria para ecommerce, portanto, é do meu maior interesse caro leitor, que você se interesse pelo assunto, que faça sua pesquisa e acabe por entrar em contato conosco para nos contratar.

Além deste, há aqui também um interesse genuíno de lhe orientar neste começo de negócio, pois já tendo atendido centenas de pessoas e tendo eu , mais de 25 anos de experiência em empreendedorismo (sendo que atuo há mais de 10 no comércio eletrônico), sinto que tenho conhecimento suficiente para compartilhar informações que poderão lhe ajudar em sua trajetória.

Não sou apenas um provedor de serviços, eu também tenho minhas lojas e aplico o que ensino.

O caminho do Empreendedor Online – Como é

O caminho que uma pessoa costuma fazer para montar um negócio online é o seguinte:

Sei que pode parecer exagerado as etapas que coloquei do empreendedor aventureiro, mas, eu ouvi esta história inúmeras vezes, de pessoas que vieram nos procurar depois de passar por isto, perdendo tempo e dinheiro no processo.

Vamos falar agora, como deveria ser?

O caminho do Empreendedor Online – Como deve ser

Diga “Sim” à consultoria de comércio eletrônico

No passado quando uma empresa precisava de auxílio, ela não via problema em procurar uma consultoria, e você deve fazer exatamente o mesmo com comércio eletrônico.

Uma agência de publicidade ou uma empresa que faz apenas desenvolvimento de websites, não estão preparadas para lidar com as variáveis concernentes ao negócio para otimizar seu processos e definir estratégias que tragam resultados.

No comércio eletrônico é preciso equilibrar estes três pilares, a Tecnologia que será utilizada, o Marketing, que é imprescindível para trazer novos clientes e em um fluxo constante e também a operação. Não adianta nada o cliente ir até você, se o seu processo de entrega é caro, lento ou ineficaz.

Meu papel como consultor, é justamente unificar estes processos, para que o seu negócio tenha as melhores chances de sucesso e retorno em um ambiente cada vez mais competitivo.

Os pilares do Comércio Eletrônico

Uma consultoria para comércio eletrônico ajudará seu negócio a construir bases sólidas para se desenvolver. Algumas pessoas argumentam que o processo pode ser caro, mas eu pergunto, ao escolher o caminho certo e sendo orientada em como investir, quais ferramentas usar, qual plataforma de website utilizar, ferramentas de integração e muitas outras, tenha certo que sua economia de tempo e dinheiro será rapidamente compensada com o sucesso mais rápido so seu negócio.

Se deseja saber mais sobre o serviço de consultoria, entre em contato conosco, através do chat ou na página de contato.

Como tirar fotografia para comércio eletrônico

Se você já tem uma loja, ou ainda está montando, as imagens da sua loja são um dos elementos mais importantes para o sucesso do seu negócio, e podem ser a razão da baixa conversão mesmo de loja já estabelecidas.

Não é incomum que identifiquemos em nossos processos de auditoria que as imagens não sejam as melhores para converter em vendas. Queremos que as imagens representem a qualidade do seu produto, e a sensação que ele passa ao ser utilizado.

Se você vende por exemplo uma cafeteira, é ideal ter imagem que mostrem o produto sem qualquer fundo, para que o interessado possa ver o produto em detalhes, e outras, com detalhes de uso, que remetam ao cliente utilizando o produto.

Por exemplo, abaixo, na primeira imagem, seria a foto principal a ser exposta em sua loja, e na segunda, o uso. 

Você não precisa contratar o Matt Damon para suas fotografias, mas é importante, que suas imagens reflitam o conforto e situações de uso do seu produto. Lembre-se, o cliente não terá contato com seu produto até que o receba, use sua criatividade para tirar fotos que enaltecam as qualidades do seu produto.

Se você vende roupas infantis por exemplo, podem ser fotos em estúdio de crianças usando sua roupa, ou, somente a peça com um fundo mais ” confortável” do que um frio fundo branco. É comum utilizar uma pelúcia ou algo que dê uma cara mais ” viva” em suas imagens.

Em um cenário ideal teríamos:

– Fotografias com fundo branco mostrando somente o produto e suas qualidades técnicas

– Imagens de uso do produto, com montagens, pessoas utilizando.

– Se for tirar fotos com pessoas usando, contrate um fotógrafo profissional ou invista em aprender, utilize equipamento adequado e iluminação própria para fotografia.

Como tirar fotos dos meus produtos para meu ecommerce?

Se você for tirar fotografias por conta própria dos seus produtos, faça de maneira profissional! Fotógrafos cobram caro por um motivo. Os equipamentos, iluminação e edição são caros! Entendo que a maior parte das pessoas, ao menos no começo, não possam ter alguém dedicado a isto ou mesmo contratar para um profissional para tirar as fotos de todos os produtos, isto pode ser bastante caro.

O objetivo deste guia, é ensinar você, proprietário, a tirar suas fotos da melhor maneira possível, mas será necessário um investimento mínimo em equipamentos e iluminação.

Vamos começar?

1. A iluminação

Sem dúvida, um dos aspectos mais importantes da fotografia. Sem luz, ou com luz inadequada, seus produtos ficam sem graça e as cores podem ficar diferentes da cor que o produto realmente possui.

Também não é incomum, ao utilizar iluminação inadequada para fotografia, que apareçam riscos nas imagens, como faixas que apareciam em TV’s antigas.

Isto ocorre se as lampadas são de LED ou fluorescentes. Para resumir a explicação, a energia elétrica que temos em casa é chamada de corrente alternada, o que quer dizer que os eletrons ficam indo e voltando nos cabos (alternando o sentido, por isso do nome). No exato momento que ocorre a inversão no sentido da corrente elétrica, a potência de tudo que consome a energia fica em zero, pois os eletrons param por um instante para começar a voltar no sentido oposto. Nesses momentos a luz apaga.

No Brasil a frequencia da corrente é de 60 Hertz, o que quer dizer que essa inversão no sentido da corrente acontece 60 vezes por segundo. Por isso as luzes piscam nessa mesma frequencia.

Já o sensor das cameras trabalha com varredura dos pixels.. basicamente ele começa gravando a imagem de cima para baixo, em linhas horizontais, o que significa que a parte de cima da imagem é gravada em um momento ligeiramente diferente da parte de baixo, esse é o tempo que o sensor da camera leva para varrer toda a imagem.

Isso tudo é muito rápido e imperceptível em condições normais, mas quando se lida com uma luz também piscando muito rápido as coisas começam a se sincronizar e dar errado.

As listras acontecem porque no momento que se está tirando a fotografia, enquanto o sensor da camera está fazendo a varredura da imagem pra salvar a foto, a luz pisca. Isso causa uma faixa preta na tua imagem, pois enquanto o sensor estava salvando a imagem naquelas linhas da faixa preta, a luz estava apagada.

A solução mais adequada para isso é trocar as lampadas. Lampadas feitas para fotografia normalmente funcionam em corrente continua, não alternada

Recomendamos no mínimo três lâmpadas de luz contínua, utilizando duas de maneira cruzada e outra acima do produto, para evitar sombras. Estas lâmpadas fornecerão luz suficiente para que a fotografia fique com excelente qualidade, e por serem próprias para fotografia, não aparecerão as faixas.

Estas lâmpadas são bem mais caras que comuns, mas, suas fotos ficarão sem os riscos e com com boa resolução. Também duram muitos anos, então, vale o investimento.

2. Como montar meu mini estúdio fotográfico.

O primeiro passo, é trabalhar com um fundo que seja fácil de remover posteriormente. Algumas pessoas utilizam fundo branco. Se você possui produtos brancos ou com cores claras, isto irá dificultar e encarecer o processamento da imagem. 

Aconselhamos o uso de um fundo verde, que dará contraste suficiente para remoção posterior. Utilize o tecido helanca na cor verde claro, que é o mais indicado por suas característica de não amassar, o que evitar sombras.

Com as lâmpadas, a helanca verde e um celular com boa resolução, você já possui tudo que precisa. Se puder investir, compre um tripé, suas fotos ficarão mais firmes.

3. Como tratar as imagens

Agora que tirou as fotos, é o momento de remover o fundo verde, para que suas imagens fiquem próprias para uso. Não vou entrar em detalhes em como fazer isto, mas existe, dezenas de tutoriais na internet e softwares como Photoshop que fazem isto.

Caso prefira, aqui na Eikonikos, temos um pacote de edição de imagens para comércio eletrônico. Se tiver interesse, entre em contato conosco que enviamos as informações.

 

4. Quais são as dimensão ideais da minha imagem?

Caso resolva tratar suas próprias imagens, procure deixá-las na proporção 1:1.

Considere também o peso das imagens no processamento final. O ideal é deixar com 1024 x 1024 com 72 dpi. 

Coloque o título adequado nas imagens, para refletir seu produto.

Salve as imagens em jpeg. Se você hospeda seu site conosco, faremos otimizações posteriores, para melhorar ainda mais a performance ao servir as imagens.

A imagem abaixo, por exemplo, está na proporção 1:1. Considere isto na hora de tirar as fotos, para que seu produto fique devidamente enquadrado.

A intenção deste breve artigo foi dar orientações gerais. Caso tenha alguma dúvida, ou queira melhorar seu negócio, entre em contato com a gente!

How to use a naked domain with Swipe Pages

So, you just put your hands on this awesome deal on Appsumo, Swipe Pages, but, instead of a subdomain, like they currently allow, you want to use your naked domain, that was at least my case, personally, I don’t like the www, they look so outdated.

Anyway, this is a common “issue” with landing page builders, they normally will connect only a subdomain, but it is possible, with a little adjustment, to connect your naked domain of choice.

What do I need to connect a naked domain with Swipe Pages?

With that, let’s do this

Login into your Cloudflare account

First thing, you need to add a domain

Choose your plan. You want the free plan. This is free as free beer, not free as free kittens.

Once you do it, Cloudflare will scan your records. If this is a new/unused domain, you will have no records

It will look something like this

Once this is finished, Cloudflare will generate two records, called NS records, they look something like this:

joe.ns.cloudflare.com

baby.ns.cloudflare.com

Just use this records within your domain registrar, to point to Cloudflare. Since each registrar does this a different way, I’ll not tell you how to do it, but, it’s pretty simple.

Now, let Cloudflare do this thing. This process might take some time, since the DNS needs to propagate.

Go back to your Swipe Pages account

Add your domain. You will see a popup, that will show you a CNAME record. Just copy it. You will need it for the next step

Login back into your Cloudflare account, and now, we will add the record.

Remember that blue button, saying +ADD RECORD? Hit that baby like you hit a ball with your baseball bat, don’t fear.

Let’s connect the naked/root domain

Set a rule for redirection

Now, go back to your cloudflare dashboard , we will need to set a rule to redirect the traffic to the correct place

Once you are there, we need to set the rule. With the free plan you can have up to 3 rules, but, we just need one.

Now, pay close attention, is very important to set this right

Done! I hope this is helpful to you guys.